Do Mais Goiás

Feiras livres e especiais são reconhecidas como atividades essenciais, em Aparecida

Se a proposta for sancionada pelo prefeito, essas atividades poderão ser mantidas em funcionamento mesmo em momentos de crises

Feira em Aparecida (Foto: Claudivino Antunes/SecomAparecida)
Feira em Aparecida (Foto: Claudivino Antunes/SecomAparecida)

O projeto de lei que estabelece as feiras livres e especiais como atividades essenciais em Aparecida de Goiânia foi aprovado na Câmara Municipal, na segunda-feira (7). Agora, a matéria segue para sanção ou veto do prefeito Gustavo Mendanha (MDB). Se sancionada, tais atividades poderão ser mantidas em funcionamento mesmo em dias de escalonamento na cidade e em caso de um novo fechamento do comércio no município.

Segundo a propositura, são classificadas como feiras livres e especiais as atividades em locais abertos ou fechados, que comercializem produtos como: hortifrutigranjeiros, praça de alimentação, artefatos de moda (vestuário, calçado, bijuterias, artigos e acessórios para casa, aparelhos eletrônicos) dentre outros.

Na justificativa da proposta, a vereadora Camila Rosa ressalta que o momento pandêmico requer extrema cautela e exige das autoridades sanitárias, dos governos, dos empresários e de toda sociedade a adoção de medidas emergenciais para conter os avanços da Covid-19. Para ela, no entanto, é necessário ressaltar a importância das feiras como atividade que não pode ser paralisada.

Camila afirma, ainda, que tais atividades ajudam a diminuir o movimento no comércio local, gerando menos aglomerações. “São categoricamente atividades essenciais, pois auxiliam no equilíbrio econômico dos centros urbanos, desafogando o comércio local e contribuindo para o sustento direta ou indiretamente de várias famílias de baixa renda”, defende.