Do Mais Goiás

Familiares de advogado assassinado em Aruanã discordam da versão dos suspeitos

Família acredita que o crime foi encomendado. OAB-GO montou uma força tarefa para acompanhar o caso

Familiares de advogado assassinado em Aruanã discorda da versão dos suspeitos
Familiares de advogado assassinado em Aruanã discorda da versão dos suspeitos

Familiares de Hans Brasiel da Silva Chaves, advogado morto a tiros em Aruanã, foram até a Secretaria de Segurança Pública (SSP) na manhã desta segunda-feira (10), para cobrar agilidade nas investigações. O crime aconteceu dentro do escritório onde ele trabalhava, na última quinta-feira (6).

Um homem foi preso e um menor de idade foi apreendido. Os dois são suspeitos de terem envolvimento no homicídio. Em depoimento à Polícia Civil (PC), o homem confessou e afirmou que o crime foi cometido porque o advogado havia sido contratado para tirá-lo da cadeia, teria recebido o dinheiro, mas não cumpriu o combinado.

Familiares do advogado contestam

A família de Hans, entretanto, contestou a versão do suspeito. Eles afirmam que o suspeito nunca foi cliente do da vítima e que o homicídio havia sido encomendado. “Ele nunca sequer passou perto dessa pessoa”, disse o pai da vítima, André Luis Chaves. “Essa pessoa foi contratada para executar meu filho”.

A esposa de Hans, Luara Brasiel, também concorda. Ela afirma que os familiares estão com “fome de justiça”. “A gente precisa de justiça para poder viver. Eu preciso disso para honrar o nome do meu marido”, concluiu.

OAB-GO

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) montou uma força tarefa para acompanhar o caso. O trabalho é chefiado pelo presidente da Comissão de Segurança Pública e Políticas Criminais da OAB-GO, Edemundo Dias, que se reuniu nesta manhã com a PC e com a Polícia Militar (PM).

Edemundo afirmou que a força policial agiu rápido na prisão e apreensão dos suspeitos, mas que ainda é preciso dar uma resposta à família da vítima. Ele também condenou os crimes e a violência cometidas contra os advogados, de forma geral.

“A violência contra o advogado é contra o Estado Democrático de Direito”, disse Edemundo. “Por isso, a formação da força-tarefa da OAB, que pretende investigar casos de violência contra advogados no exercício da função.”

Resposta

Por meio de nota, a PC informou que o caso é investigado pela 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil (Goiás) e Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH). O Mais Goiás tentou contato com os delegados responsáveis pelo caso, mas as ligações não foram atendidas.

Confira nota da PC, na íntegra

“A Polícia Civil informa que as investigações acerca da morte do advogado Hans Brasiel da Silva Chaves, ocorrida na última quinta-feira (6), estão sendo coordenadas, conjuntamente, pela 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil (Goiás) e Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH). Na manhã desta segunda-feira (10), o delegado-geral Odair José Soares, acompanhado de outros delegados, recebeu comitiva da OAB e familiares da vítima, para informar sobre a intensificação dos trabalhos para elucidação deste e de outros crimes semelhantes envolvendo advogados.”Polícia Civil

Com informações de G1.