Luto

Familiares, amigos e políticos se despedem de Paulo Garcia

Iris Rezende, José Eliton e diversas autoridades compareceram ao velório e lamentaram a morte do petista


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 30/07/2017 às 14:35:13

Velório do ex-prefeito Paulo Garcia reuniu amigos, familiares e políticos. (Foto: Thiago Burigato/ Mais Goiás)
Velório do ex-prefeito Paulo Garcia reuniu amigos, familiares e políticos. (Foto: Thiago Burigato/ Mais Goiás)

A despedida do ex-prefeito Paulo Garcia tem reunido amigos, familiares e políticos desde o final da manhã deste domingo (30/07) no cemitério Jardim das Palmeiras, na região Central da capital. Em homenagem, foram colocadas bandeiras de Goiânia e da Universidade Federal de Goiás (UFG) sobre o caixão do homem que também era médico neurocirurgião e professor.

A presidente municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) de Goiânia e deputada estadual Adriana Accorsi foi uma das primeiras autoridades a chegar no local e a prestar sua solidariedade à família. “Acreditamos que é uma grande perda para nós e também para a política, para a democracia, para Goiânia e Goiás. Ele lutou pela democracia e pela justiça social e tenho convicção de que no futuro breve seu legado será reconhecido pela população”, disse ela. “É uma lembrança triste, mas carinhosa que fica e, em nome do Partido dos Trabalhadores, deixamos nossa memória e nosso respeito”, lamentou a petista.

No início da tarde, o prefeito Iris Rezende (PMDB) foi ao velório e lamentou a morte de seu ex-vice. “Estamos consternados porque há pouco tempo ele convivia com a cidade como prefeito, durante praticamente 7 anos. Temos que lamentar. Em sinal de respeito e consideração ao seu passado, decretamos luto oficial de três dias. Suspendemos as atividades da prefeitura hoje e aqui estamos para manifestar nossas condolências e aos amigos, pedindo a Deus que dê o consolo e conforto a todos aqueles que sofrem com esse desaparecimento”, disse o peemdebista.

O vice-governador José Eliton também compareceu ao velório e ressaltou as obras e contribuições de Paulo Garcia enquanto prefeito, como a reforma da Praça Cívica. Ele ainda amenizou as críticas sofridas pelo ex-prefeito. “Acho que o tempo às vezes permite que as pessoas possam fazer uma avaliação crítica a respeito do legado de cada um de nós. Eu tenho convicção de que o Paulo, dentro das circunstâncias de crise profunda que abateu o Brasil, principalmente nos anos 2015 e 2016, deixa um legado de realizações não só no sentido de obras físicas, mas também do ponto de vista conceitual.”

Já a titular da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira, destacou a amizade que cultivou com o petista dentro da UFG. “Fizemos campanha juntos para reitora da UFG, ele me apoiou. Tinha uma relação muito próxima com o irmão dele, que eu falo que foi meu guru político. Então falo que foi pra mim um momento pessoal triste. Muito triste, pesado”, disse. Ela ainda falou da surpresa que foi receber a notícia de sua morte. “Ele fumava, apesar de médico. Mas claro, pegou todo mundo de surpresa. Ele era jovem. Não tinha 60 anos ainda”, finalizou.

Biografia

Nascido em 13 de maio de 1959 em Goiânia, Paulo Garcia era médico neurocirurgião e casado com a médica Tereza Beiler, com quem teve dois filhos. Formado pela Universidade Federal de Goiás (UFG), foi professor, presidente da Unimed, suplente de vereador, deputado estadual e prefeito da Capital de 2010 a 2016. Ele morreu de infarto por volta das 4h30 da madrugada de hoje, no apartamento em que mora, no Setor Bueno, em Goiânia. O velório está sendo realizado no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia, e o enterro será às 17 horas.