Família diz que goiana feita refém em Sydney está bem

Homem manteve reféns mais de 17h em café, até a polícia invadir o local.


//

A família da personal trainer goiana Márcia Mikhael, que vive na Austrália há cerca de 20 anos e foi uma das vítimas do sequestro em Sydney, disse à TV Globo que ela está bem após a polícia invadir a cafeteria da Lindt e pôr fim ao cativeiro de dezenas de pessoas.

Em entrevista ao canal “Globonews”, o irmão de Márcia havia confirmado mais cedo a informação de que ela seria um dos reféns. A família dela também disse à radio estatal australiana SBS que a brasileira estava dentro do café.

Segundo a família, ela teria conseguido postar uma mensagem avisando que estaria sendo usada pela polícia para negociar com o sequestrador.

FIM DO SEQUESTRO

A polícia australiana disse que a situação com reféns em Sydney terminou, depois que vários agentes de segurança fortemente armados invadiram um café no centro da cidade, onde um atirador estava mantendo um número desconhecido de pessoas presas.

Um porta-voz da polícia confirmou que “a operação está concluída”, mas não divulgou mais detalhes.

A polícia entrou no Lindt Chocolat Cafe logo após cinco ou seis reféns serem vistos correndo para fora do local. Depois que a polícia agiu, uma mulher chorando foi ajudado pelos agentes e, pelo menos, outras duas pessoas foram levadas em macas.