POLÍCIA

Falsa grávida e comparsa que extorquiram idoso em R$ 400 mil são presas em flagrante

Crime vinha sendo praticado desde 2018, e segundo a polícia, mentora levava uma vida de luxo com o dinheiro arrecadado no golpe


Aulus Rincon
Do Mais Goiás | Em: 02/09/2020 às 14:01:36


Duas mulheres foram presas em flagrante em Goiânia no momento em que tentavam extorquir um idoso de 72 anos em R$ 11 mil. Em dois anos, as duas mulheres, segundo a investigação, já haviam conseguido retirar R$ 400 mil desta mesma vítima.

Ranielle Ferreira da Silva, de 24 anos, segundo a Polícia Civil, foi quem, em 2018, poucos dias após se relacionar com um idoso que havia conhecido em um bar de Goiânia, anunciou que estava grávida dele. Posteriormente, ela afirmou que abortou a criança, e, desde então, passou a cobrar semanalmente para um suposto tratamento médico que teria sido submetida após o procedimento para a retirada do filho.

Para dar veracidade ao suposto tratamento, Ranielle, ainda de acordo com o que apurou a equipe do Grupo Anti Sequestro (GAS), da Deic, fez com que sua diarista Alberlice Barbosa dos Santos, de 55 anos, também procurasse o idoso como se fosse a responsável por cuidar dela durante o tratamento.

Durante a investigação, a Polícia Civil coletou vários áudios onde as duas autuadas aparecem exigindo dinheiro do idoso. Em algumas conversas, as mulheres ameaçam denunciar o idoso pelo aborto, e afirmam que o pai de Ranielle estaria vindo à Goiânia para acertar as contas com ele.

As duas autuadas também, segundo o delegado Thiago Martimiano, chefe do GAS da Deic, criaram um perfil falso, como se fosse de um capitão da Polícia Militar, para ameaçar o idoso. “O que constatamos foi que a Ranielle não tem nenhuma ocupação, mas ainda assim mantinha uma vida de ostentação, postava fotos com muito dinheiro nas mãos, estuda em uma faculdade particular, mora bem, realizou procedimentos cirúrgicos, e adquiriu aparelhos de telefone celular de última geração, tudo isso com o dinheiro obtido nestas extorsões”, descreveu.

Ranielle Ferreira da Silva, de 24 anos, Alberlice Barbosa dos Santos, de 55 anos

Em um dos celulares apreendidos com Ranielle, o delegado encontrou conversas com outros homens, que também estariam sendo extorquidos da mesma forma. O atual namorado dela também teria participado de algumas extorsões, mas como não foi preso em flagrante, acabou liberado após prestar depoimento.

Autuadas em flagrante, Ranielli e Alberlice tiveram suas prisões preventivas decretadas, e agora vão aguardar, na Casa de Prisão Provisória, em Aparecida de Goiânia, o julgamento por extorsão, crime que tem pena, de quatro, até 10 anos de reclusão. A Polícia Civil decidiu divulgar os nomes, imagens, e idade das autuadas em atenção à Lei n.º 13.869 e Portaria n.º 02/2020 – PCGO, especialmente porque se trata do uso do crime como meio de vida, contumácia na atividade delitiva, e visa o surgimento e identificação de novas vítimas.

A reportagem do Mais Goiás não conseguiu contato com a defesa das autuadas. O espaço seque aberto para eventual manifestação.