Acidente Aéreo

Falha do motor pode ter causado queda do avião que matou três e deixou dois gravemente feridos no Pará

Acidente ocorreu em 27 de julho em São Félix do Xingu, no Pará, após a aeronave decolar e apresentar problemas. Um dos sobreviventes recebeu alta do hospital


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 28/08/2018 às 15:59:27

Cristiano,à esquerda, segue internado. Robson recebeu alta no último dia 23 (Foto: Reprodução)
Cristiano,à esquerda, segue internado. Robson recebeu alta no último dia 23 (Foto: Reprodução)

As investigações sobre o acidente aéreo que deixou três mortos e outras duas pessoas gravemente feridas em São Félix do Xingu, no Sudeste do Pará,  ainda não foram concluídas, mas tudo indica que uma falha no motor tenha provocado a queda. O caso aconteceu no último dia 27 de julho e as informações são do Comando de Aeronáutica (Comaer).  O piloto goiano Cristiano Felipe Rocha Reis, de 31 anos, e o empresário Robson Alves Cintra foram os dois sobreviventes do acidente.

A entidade destacou que as investigações estão em andamento e que ainda não há um prazo final definido para o término das mesmas. Ainda conforme nota, a apuração terá o menor prazo possível, medida para evitar que outros acidentes com as mesmas características aconteçam.

A aeronave tinha como destino o aeróromo de Ourilândia, a 110 quilômetros de São Félix do Xingu. Segundo o site da Comaer, logo após a decolagem, houve falha no motor. O piloto ainda tentou retornar para a pista de decolagem, mas teve que fazer um pouso forçado em uma região florestal, no qual a aeronave caiu.

Conforme expõe a plataforma, aeronave é do modelo 210L e foi fabricada em 1976. Segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro, a aeronave estava com o certificado de aeronavegabilidade (CA) suspenso.

A bordo estavam Victor Gabriel Tomaz, 10 anos, Evandro Geraldo Rocha Reis, 73, e José Gonçalves de Oliveira, 72, que morreram, bem como o piloto Cristiano Felipe Rocha Reis e o empresário Robson Alves Cintra.

Logo após a queda, os sobreviventes  foram encaminhados para hospitais no município de Tucumã (PA). Posteriormente, ambos foram transferidos para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol), em Goiânia.

Depois de passar 26 dias internado, Robsou recebeu alta no último dia 23 de agosto. Ele gravou um vídeo em uma rede social no qual agradeceu as orações e afirmou estar se recuperando em casa. Cristiano, por sua vez, segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hugol, em estado grave e respirando com ajuda de aparelhos.