Tragédia em Santos

FAB: Áudio gravado em caixa-preta não é do voo que matou Campos

Especialistas concluíram que gravações correspondem a uma data anterior ao acidente




Após análise das duas horas de gravações registradas pela caixa-preta encontrada nos destroços da aeronave que matou o presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE), especialistas do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB) concluíram que o áudio foi gravado em uma data anterior à do acidente. Os dados não correspondem ao voo.

Segundo o Cenipa, as duas horas de áudio foram extraídas e analisadas por quatro técnicos do Laboratório de Leitura e Análise de Dados de Gravadores de Voo (Labdata). Não foi possível, até o momento, determinar a data dos diálogos registrados pelo gravador, mas eles não correspondem aos instantes finais da aeronave.

“Não é possível, até o momento, determinar a data dos diálogos registrados no CVR, tendo em vista que esse tipo de equipamento não registra essa informação”, diz o comunicado. “As razões pelas quais o áudio obtido não corresponde ao voo serão apuradas durante o processo de investigação.”

Ainda de acordo com o Cenipa, apesar de os dados do gravador de voz serem importantes para a investigação, eles não são considerados “imprescindíveis” para a identificação das causas do acidente.