Do Mais Goiás

Exposição ‘Kieza: de onde eu venho’, homenageia mulheres pretas da capital

A exposição estreia nesta quinta (16/09), e segue até o dia 01/10

Exposição
A exposição "Kieza: de onde eu venho", estreia nesta quinta, às 16h (Foto: Divulgação)

Nesta quinta-feira (16/09), às 16h, estreia a exposição “Kieza: de onde eu venho“, realizada pela Prefeitura de Goiânia, em parceria com o Governo de Goiás, e organizada pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, e pela Secretaria de Cultura de Goiás.

A mostra, que fica em cartaz até o dia 1 de outubro, homenageia cinco mulheres pretas goianienses, com histórias importantes nos mais diversos âmbitos da cidade. O público poderá ver a ilustração feita pelo artista Alex Katira, responsável por dar vida à homenagem.

Sobre a exposição “Kieza: de onde eu venho”

É preciso reconhecer e valorizar a potente identidade negra presente na capital goiana. Para isso, uma das ações desenvolvidas pela prefeitura é justamente a exposição.

Nela, são apresentadas cinco mulheres que, com suas histórias, pintam a cidade e contribuem para o combate ao racismo e para a luta pela valorização cultural, estética, política e religiosa deste grupo, com o objetivo de ressignificar as lutas de seus antepassados.

De acordo com Cristina Lopes, secretária de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas: “a exposição é uma das ações da Prefeitura de Goiânia para fomentar e fortalecer os saberes e história das mulheres pretas, afirma.

Conheça as homenageadas

Iyalorisá Valéria Ti Yeomonjá, mais conhecida apenas por Valéria, é fundadora do grupo “Congada 13 de maio”, um movimento precursor de afirmação das mulheres nos espaços de liderança.

Anadir Cesária é uma das coordenadoras do Grupo de Mulheres Negras Dandara no Cerrado, também exercendo trabalho na Comurg, onde coordena o Núcleo de Promoção e Inclusão Social da companhia.

Na luta por um modo de vida mais sustentável, ela acredita que do lixo ao lucro é apenas um pulo, trabalhando na reafirmação da importância de politicas públicas de atenção e cuidado à população preta.

Naya Violetta é a primeira estilista da região Centro-Oeste a participar do São Paulo Fashion Week (SPW). Moradora de Goiânia, tem o objetivo de construir uma nova visão sobre moda e ancestralidade, já que acredita que a passarela também é um lugar de luta e resistência.

Em memória

A exposição “Kieza: de onde eu venho”, também homenageia a memória de mulheres pretas que foram importantes para a cultura e história de nossa região, e que infelizmente já partiram. Apesar disso, o legado de cada uma merece e deve ser valorizado. Entre elas, estão:

Durvalina Rocha Machado, mais conhecida como Mãe Biloca, foi Mestra do Samba de Roda, filha do grande Mestre Bimba e referência nacional na capoeira.

Ativista do movimento negro, fundou o coletivo Sambadeiras de Bimba Filhas de Biloca em Goiânia. Sempre acreditou que o samba roda é uma importante ferramenta de luta contra o machismo, racismo, sexismo e intolerância religiosa.

Dona Dalva também é uma das homenageadas pela mostra. Foi presidente da Associação da Vila Morais, bairro onde morou durante boa parte de sua vida.

Entre seus feitos mais importantes, marcou os anos 80 quando articulou, junto ao então governador de Goiás, Henrique Santillo, a fundação dos Cais, Ciams e outras unidades de saúde e assistência, que mais tarde se transformaram no CRAS.

Também fez história no movimento negro e de mulheres, do samba, das congadas e também de religiões de matriz africana em Goiás.

Serviço

Exposição “Kieza: de onde eu venho”

Quando: 16/09 a 1/10

Onde: Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas

Horário: 9h às 17h

Acesso: gratuito

Instagram: @direitoshumanosgyn

Leia também: