Cinema

Exibição de filmes do Fica 2015 homenageia Goiânia

A mostra segue até o dia 25, domingo, com entrada gratuita.




O Cine Cultura exibe a partir desta quinta-feira, dia 22, uma mostra com filmes da 17ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental – Fica 2015, realizado em agosto deste ano, na cidade de Goiás.

O cinema também presta homenagem aos 82 anos de Goiânia com exibição, no dia 24, sábado, dos filmes goianos selecionados e premiados no festival. A mostra segue até o dia 25, domingo, com entrada gratuita.

O cinema fica no Centro Cultural Marieta Telles Machado, na Praça Cívica, Centro de Goiânia.

Confira a programação completa:

Mostra Fica 2015

Dia 22/10 – Quinta-feira

17 horas
Filme: My name is salt – (Suíça, Documentário, 92 min, 2013) Premiado
Direção: Farida Pacha
Sinopse: Ano após ano, ao longo de intermináveis oito meses, milhares de famílias se mudam para um deserto na Índia para extrair sal do solo escaldante. A cada monção, os campos de sal são lavados pela chuva, quando o deserto vira mar. Ainda assim, elas retornam, lutando para produzir o sal mais branco do mundo.

19 horas
Filme: Guinée: Le Territoire des Oubliés – (França, Documentário, 49 min, 2013) Premiado
Direção Felipe Lafaix
Sinopse: Na Guiné, sobre estradas esburacadas, motoristas de táxi lutam para entregar medicamentos e vacinas em menos de 24 horas do outro lado do País. Um incrível road movie, na região de floresta onde começou a epidemia de ebola. Um País decadente, com hospital sem eletricidade, emergências grotescas, crianças sendo exploradas, bebês desnutridos à espera de remédios e vacinas, enquanto jovens escravos lixam móveis em marcenarias para ganharem o suficiente para sobreviver. Imagens terríveis e perturbadoras que lembram que a esperança de vida não ultrapassa 50 anos no País à beira do caos.

20 horas
Filme: A Ria por Dentro – (Portugal, Documentário, 24 min, 2014)
Direção: Ana Maria Rodrigues
Sinopse: A Ria de Aveiro é um ecossistema estuarino que apresenta uma elevada biodiversidade de invertebrados. Em geral pouco conhecidos, os invertebrados são a base do alimento para muitas das aves e peixes da Ria e englobam espécies de elevado valor econômico. Para os conhecermos melhor, temos de olhar dentro do sedimento ou mergulhar nas águas turvas da Ria.
Melhor filme do 17º Fica

20h30
Filme: Bienôt Dans Vos Assiettes! (Degré ou de Force…) (Transgenic Wars, França, Documentário, 52 min, 2014)
Direção: Paul Moreira
Sinopse: Há uma chance de 50 por cento de que a carne de porco de seu jantar de ontem tenha vindo de um animal alimentado com soja transgênica. Para muitos, isso pode ser uma surpresa, pois supermercados, fazendeiros e a indústria em geral guardam um silêncio suspeito ao redor do tema. Por que se preocupam? Com mais um escândalo alimentar? A marcha rumo à dominação de produtos geneticamente modificados começou há 15 anos. Hoje, na Argentina, toda a agricultura é transgênica, mas depois de 15 anos as pragas se adaptaram e o glifosato já não surte efeito. Em função disso, os fazendeiros começaram a utilizar químicos nocivos de forma indiscriminada e sem fiscalização.

Dia 23/10 – Sexta-feira

17 horas
Filme: Desculpe pelo Transtorno: História do Bar do Chico (Brasil/SC, Documentário, 79 minutos, 2014)
Direção Todd Southgate
Sinopse: Documentário que narra a história de Seo Chico, cujo pequeno e rústico bar à beira-mar, tornou-se o marco-zero na batalha de uma comunidade que vem lutando para proteger os seus meios de subsistência, a sua cultura e, como alguns ainda colocam, o bem-estar de toda a ilha.

19 horas
Filme: The E-Waste Tragedy (França/Espanha/Reino Unido, Documentário, 86 min, 2014) Premiado
Direção Cosima Dannoritzer
Sinopse: Uma sequência do premiado The Light Bulb Conspiracy, este filme investiga o mundo do tráfico ilegal de lixo eletrônico. A cada ano, quase 50 milhões de toneladas de lixo desse tipo – computadores, televisores, celulares, eletrodomésticos – são descartadas no mundo desenvolvido. Setenta e cinco por cento desses resíduos desaparece dos sistemas legais de reciclagem e grande parte é descartada no Terceiro Mundo, onde destrói ecossistemas e prejudica vidas. Este documentário leva o espectador numa jornada investigativa pela Europa, China, África e Estados Unidos, revelando um comércio tóxico global alimentado pela sede de lucro e pela corrupção.

20h40
Filme: Matias (Brasil/SP, Documentário, 26 min, 2014)
Direção: Ricardo Martensen & Felipe Tomazelli
Sinopse: A somente 165 quilômetros de distância da maior cidade do hemisfério sul, São Paulo, em uma pequena cabana, vive Matias. Cercado pelo que resta de uma floresta exuberante, Matias passa a vida com seus cães e galinhas, um homem que incorpora toda uma cultura ameaçada de extinção.

Dia 24/10

Mostra de filmes goianos premiados:

17 horas
Filme: Aniz, a Bruxinha Aprendiz (Brasil/GO, Animação, 7 min, 2014)
Direção: Guilherme Araújo
Sinopse: A produção é uma história baseada no livro infanto-juvenil de mesmo nome, da escritora brasileira Sueli Maria de Regino. A animação conta a história de uma garota chamada Aniz, que tem uma avó chamada Belatrix, que é uma bruxa. Aniz entra no porão de sua avó e toda a magia acontece.

17h20
Filme: Maria Macaca (Brasil/GO, Documentário, 15 min, 2015) Premiado
Direção: Lázaro Ribeiro
Sinopse: Documentário narrado por Dona Nesci, neta de Maria, e dramatizado pela atriz Elisa Lucinda. Juntas, elas rememoram a vida difícil de uma carregadeira de água negra, alta, magra e alegre, de pés firmes, nas pedras das ruas da velha Goiás, saltitante com sua lata na cabeça a equilibrar o líquido que nutre e preserva a vida, mulher que clama por chuva e reza pelo futuro da humanidade.

18 horas
Filme: Ainda Existe Brasil (Brasil/GO, Documentário, 15 min, 2015)
Direção: Pedro Diniz
Sinopse: Pelos caminhos escondidos dos sertões, carreiros, com seus carros de bois, sulcam histórias e tradições. Carreiam toras, víveres e paixões, resistem. Cada qual na sua toada e canto, ainda existe.

18h20
Filme: Girassol de Plástico – (Brasil/GO, Documentário, 13min, 2015)
Direção: Amarildo Pessoa
Sinopse: Assim como o girassol volta sua corola buscando força no sol que passou, este documentário propõe, através da memória, manter a imagem do rio vivo no percurso do tempo. Esta imagem é a senha para decifrar as contradições entre a vida e a morte que o Rio Meia Ponte hoje nos apresenta.

18h40
Filme: Babilônia – (Brasil/GO, Documentário, 20min, 2014)
Direção: Cristiano Sousa
Sinopse: No final do século 18, numa cidade no interior de Goiás, nasce uma criança de família simples, humilde, que perde os pais logo cedo e acaba sendo dada aos padres jesuítas, o que foi sua salvação. Esta é a história por trás da Fazenda Babilônia e de seu papel na história de Goiás.

19 horas
Filme: Lobo Solitário – (Brasil/GO, Documentário, 28 min, 2015) Premiado
Direção: Ranulfo Borges
Sinopse: O filme conta a história de Waltercílio Pereira Alves, o Pocotó, ex-carateca e ex-policial que já passou por várias regiões do País até virar catador de papéis nas ruas de Goiânia. Exemplo de luta e superação, Pocotó não tem família e dedica sua vida aos seus animais a quem dá nomes de pessoas famosas. São mais de dez cães, além dos cavalos usados na carroça, onde escreveu o nome “Lobo Solitário”, retirado do filme Rambo. Uma figura chapliniana, Pocotó tem também seu lado de artista de circo, com direito até a uma cadela amestrada. O diretor o acompanhou durante sete anos nestas mudanças, de casa em casa, ou de lote em lote, estabelecendo também um paralelo de sua vida com as alterações no espaço urbano. Pocotó e seus bichos de estimação são expulsos, geralmente, para dar lugar ao concreto e a depósitos de ferro velho.

19h30
Filme: Baque Solto em Buenos Aires (Brasil/GO e PE, Documentário, 20 min, 2013)
Direção Ângelo Lima
Sinopse: Todo ano, o Maracatu Estrela Dourada se junta e faz um trabalho coletivo para sair durante o carnaval. Trabalhadores da cana se transformam em dançarinos e brincam o Maracatu.

20 horas
Filme: Índio Cidadão – (Brasil/DF, Documentário, 52 min, 2014) Premiado
Direção: Rodrigo Siqueira
Sinopse: A União das Nações Indígenas, em ato de desobediência civil contra a tutela do Estado, coordena movimento político de participação popular na Constituinte (1987/88). Vinte e cinco anos depois, o movimento indígena ocupa o plenário da Câmara dos Deputados e realiza a Mobilização Nacional em Defesa dos Direitos Constitucionais ameaçados pelo próprio Congresso Nacional. A Nação Kaiowá e Guarani, alienada do direito e da justiça, revela a narrativa testemunhal do genocídio indígena em marcha no Mato Grosso do Sul.

Dia 25/10 – Domingo

17 horas
Filme: Galus Galus (Venezuela, Animação, 12 min, 2015) Premiado
Direção: Clarissa Duque
Sinopse: Quem sabe, algum dia, ele tenha tido uma família. Quem sabe, uma vez, tenha sido amado, esperado e tenham sentido sua falta. Hoje, ele é apenas uma sombra, perdida entre todas as sombras dos dias que começam e ninguém vê. É uma sombra que desperta na calçada e perambula em meio ao lixo à procura de garrafas plásticas para ganhar alguns centavos e sobreviver mais um dia, todo dia, mais um dia.

17h30h
Filme: The Thirsty Crow (Índia, Animação, 7 min, 2013) Premiado
Direção: Snehasis Das
Sinopse: A obra relata o conhecimento tradicional de povos indígenas sempre teve um papel significativo na solução de problemas, incluindo aqueles relacionados a mudanças e à variabilidade climática. Povos indígenas, que vivem próximos a seus recursos naturais, com frequência observam os eventos à sua volta e são os primeiros a identificarem mudanças e adaptarem-se a elas. O corvo dessa antiga história tem enorme significado para a atual geração das civilizações humanas, que não apenas começaram a esquecer a história do corvo e da água, mas também da própria importância da conservação dos recursos hídricos.

17h40
Filme: No Jile (Venezuela, Animação,10 min, 2015)
Direção: Carolina Dávilla
Sinopse: Um idoso ligado à sua terra natal precisa lutar por água para sobreviver, uma batalha perdida. Ele é forçado a deixar seu País e se torna um refugiado do clima. Este é um curta que tem como pano de fundo as mudanças climáticas e suas consequências: aumento de temperatura, secas, perda de safras e migrações.

18 horas
Filme: Últimos Refúgios: Reserva Biológica de Duas Bocas (Brasil/ES, Documentário, 28 min, 2013)
Direção: Alexandre Barcelos
Sinopse: O documentário traz como mensagem principal a importância da preservação dos recursos hídricos e também destaca diversas espécies de fauna e flora que habitam os cerca de 30 mil hectares dessa unidade de conservação. Diante dos problemas ambientais mundiais como aquecimento global, derretimento de geleiras, escassez de água, extinção de espécies e desertificação, devemos cada vez mais lutar pela conscientização ambiental, única forma de combater a degradação desenfreada de nosso meio ambiente. A preservação da área, considerada um laboratório vivo de remanescentes de ecossistemas da Mata Atlântica, está diretamente ligada à história do abastecimento de água na capital capixaba e acontece há cerca de cem anos, antes mesmo da instituição da reserva.

18h30
Filme: El Rio que nos Atraviesa (Venezuela, Documentário, 71 min, 2013) Premiado
Direção: Manuel Blanco
Sinopse: Filme autorreflexivo que busca registrar e questionar uma realidade que será transformada pela exploração petrolífera, ali exatamente onde, desde épocas ancestrais, gerou-se a vida: o Rio Orinoco. Há um conflito quando pensamos em todos os benefícios que o Projeto Orinoco Magna Reserva trará para a Venezuela como país em crescimento. Mas realmente vale a pena contaminar este rio que nos deu tanto e é uma reserva da memória milenar de nossos povos indígenas?

20 horas
Filme: O Veneno está na Mesa (Brasil/DF, Documentário, 110 min, 2014)
Direção: Silvio Tendler
Sinopse: Após impactar o Brasil mostrando as perversas consequências do uso de agrotóxicos em O Veneno está na Mesa, o diretor Sílvio Tendler apresenta, no segundo filme, uma nova perspectiva. O filme atualiza e avança na abordagem do modelo agrícola nacional atual e de suas consequências para a saúde pública. A obra apresenta experiências agroecológicas empreendidas em todo o Brasil, mostrando a existência de alternativas viáveis de produção de alimentos saudáveis, que respeitam a natureza, os trabalhadores rurais e os consumidores.