Desvio de verba

Ex-vereador de Aparecida de Goiânia é denunciado por peculato e falsidade ideológica

De acordo com o MP-GO, ele utilizou a documentação de um homem em situação de rua e de miserabilidade para usá-lo como funcionário fantasma e se apropriar de R$25 mil, entre 2008 e 2009


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 14/08/2019 às 17:54:29

Willian Ludovico de Almeida (Foto: Reprodução)
Willian Ludovico de Almeida (Foto: Reprodução)

O ex-vereador de Aparecida de Goiânia, Willian Ludivico de Almeida, foi denunciado por peculato, falsificação de documento público e falsidade ideológica. Além dele, foram denunciados o ex-procurador da Câmara João Bosco Ventura e o assessor parlamentar Wilson Francisco.

De acordo com o Ministério Público de Goiás (MP-GO), eles utilizaram a documentação de um homem analfabeto, em condição de miserabilidade e em situação de rua, para usá-lo como funcionário fantasma e desviar recursos da Câmara Municipal da cidade.

A denúncia, oferecida à justiça na última segunda-feira (12), afirma que foram desviados R$25 mil entre os anos de 2008 e 2009. O documento diz, ainda, que o esquema era de conhecimento, inclusive, do presidente da Casa à época, João Antônio Borges. Ele faleceu em 2017.

De acordo com o promotor responsável pela denúncia, Carlos Alberto Fonseca, o então vereador William encontrou com uma pessoa em situação de rua e prometeu a ele um lote. Pra isso, bastaria que o homem fornecesse uma cópia do documento de identidade. A vítima acreditou na promessa e entregou o documento, mas nunca ganhou o lote.

Com os documentos do homem, William o nomeou  assessor parlamentar, com um salário de R$ 1.719. O recebimento era feito por Wilson, que falsificava as assinaturas dos cheques entregues pela tesouraria da Câmara. Ainda de acordo com o MP-GO, o dinheiro era dividido entre os dois. O ex-procurador da Câmara, João Bosco, também tinha conhecimento do esquema, motivo pelo qual também foi denunciado.

Enganado duas vezes

O esquema foi descoberto por que o homem, cansado de esperar pelo lote, se mudou para um assentamento em Crixás. Anos depois, ele foi ao INSS para dar entrada na aposentadoria rural. Lá ele foi informado que não poderia se aposentar pois estava empregado na Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia.

O caso foi relatado pela vítima ao MP-GO, que solicitou à Casa os comprovantes de recebimento dos cheques. Percebendo a movimentação do órgão, o ex-vereador exonerou o funcionário fantasma. O homem foi enganado mais uma vez, pois o parlamentar fez com que ele assinasse os comprovantes de recebimento dos cheques com a promessa de que sua aposentadoria seria liberada. Ao se dar conta disso, a vítima foi até a Polícia Judiciária para relatar o caso.

Com informações de MP-GO