OPERAÇÃO

Ex-presidente do TJGO é alvo de investigação da PF que apura venda de decisões

Entre os investigados, estão os desembargadores Gilberto Marques Filho e Orloff Neves Rocha, além do juiz Ronnie Paes Sandre


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 30/06/2020 às 13:20:27

Ex-presidente do Tribunal de Justiça Gilberto Marques Filho (Foto: Divulgação)
Ex-presidente do Tribunal de Justiça Gilberto Marques Filho (Foto: Divulgação)

Dois desembargadores e um juiz foram alvo de mandados de busca e apreensão cumpridos pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira em Goiás. Entre eles está o ex-presidente do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) Gilberto Marques Filho, o desembargador Orloff Neves Rocha e juiz Ronnie Paes Sandre.

A operação compõe investigação que apura compra de decisões judiciais em benefício de uma grande empresa que passa por recuperação judicial. A ação foi comandada pelo ministro Mauro Campbell Marques, do Superior Tribunal de Justiça, e corre sob sigilo.

Em nota, o Tribunal afirma estar colaborando com as investigações e que não pode ceder mais informações porque o caso se encontra em segredo de Justiça.

O Mais Goiás também entrou em contato com a Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego), que enviou nota (no fim da matéria).

Investigados

Gilberto Marques Filho e Ronnie Paes Sandre são sogro e irmão, respectivamente de Ricardo Paes Sandre, médico investigado por abusos sexual e de poder na condução do Centro de Saúde do Tribunal de Justiça em Goiânia.

Nota da Asmego:

A Asmego, Associação dos Magistrados do Estado de Goiás, vem a público esclarecer a sociedade goiana acerca dos fatos noticiados pela imprensa na data de hoje.
Inicialmente, cumpre ressaltar que se trata de procedimento de Busca e Apreensão de documentos, por ordem do Superior Tribunal de Justiça.
A medida visa à elucidação de denúncias sobre o caso, que ainda está em fase de investigação.
Por ora, o tema segue sob sigilo, por determinação do Ministro Mauro Campbell, do STJ.
A Asmego acompanhará o desenrolar dos acontecimentos, certa de que aos magistrados investigados será assegurado o devido processo legal, com todos os seus consectários, a ampla defesa e o contraditório.