Luto

Ex-ministro Mendes Ribeiro Filho morre aos 60 anos

Ele estava internado desde o ano passado na Santa Casa de Misericórdia, da capital gaúcha, onde passava por um tratamento contra um tumor no cérebro




O ex-ministro da Agricultura e ex-deputado federal Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS) morreu na madrugada de hoje (10), em Porto Alegre. Ribeiro tinha 60 anos e estava internado desde o ano passado na Santa Casa de Misericórdia, da capital gaúcha, onde passava por um tratamento contra um tumor no cérebro. O velório ocorre na Assembleia Legislativa, e o corpo será cremado no Crematório Metropolitano.  Ele deixa mulher e três filhos.

Mendes Ribeiro foi nomeado como ministro da Agricultura do governo da presidenta Dilma Rousseff em 2011, mas pediu licença para tratar do câncer em 2013. Em nota de pesar, a presidenta lamentou a perda do amigo.”É com imensa tristeza que recebi a notícia da morte do meu amigo, ex-ministro Mendes Ribeiro. Hoje é um dia triste para todos nós que lutamos, como Mendes Ribeiro, pela democracia e por um país mais justo e menos desigual. É com dor que sinto sua partida. Meus sentimentos à dona Fernanda, aos filhos e amigos. Mendes era um amigo leal e um político sempre pronto para o diálogo e a tolerância”, declarou.

O governador do Rio Grande do Sul, Ivo Sartori, também divulgou nota na qual lamentou o falecimento do ex-ministro e decretou luto oficial de três dias no estado. “A trajetória de Mendes Ribeiro Filho foi marcada por lealdade e espírito público. Ele era um ponto de equilíbrio em todas as ocasiões. O consenso e o entendimento faziam parte de sua natureza. Mendes foi um grande ser humano, político e amigo. Acima de tudo, um agregador”, disse Sartori.

Mendes Ribeiro Filho seguiu os passos do pai, o também advogado e político Jorge Alberto Beck Mendes Ribeiro, que também foi radialista e ingressou na vida pública ainda jovem. Graduado em direito na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, o político assumiu seu primeiro mandato como vereador em Porto Alegre em 1982 pelo PDS. Antes disso, já havia ocupado alguns cargos do segundo escalão do Executivo municipal e na Assembleia Legislativa.

Foi deputado estadual nas legislaturas de 1986 a 1990 e de 1991 a 1994. No Executivo estadual ocupou três secretarias: Justiça (1983-1984); Obras Públicas, Saneamento e Habitação (1995-1996) e Casa Civil (1996-1999). Em 1995, trocou a Assembleia Legislativa pela Câmara dos Deputados. Em 2004, concorreu ao cargo de prefeito de Porto Alegre. Desde 1996 exerceu o cargo de deputado federal até ser indicado, em agosto de 2011, ao Ministério da Agricultura.

Tópicos