Justiça

Ex-médico brasileiro Abdelmassih é preso no Paraguai

Abdelmassih foi condenado a 258 anos de prisão por abusar de 39 mulheres e será deportado para Foz do Iguaçu




O médico brasileiro Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos por abusar de 39 mulheres em São Paulo, foi detido nesta terça-feira, 19, em Assunção, capital do Paraguai.

Abdelmassih, que abusava de suas vítimas durante a anestesia que realizava para as sessões de inseminação artificial, foi identificado pelas forças de segurança paraguaias durante uma operação de rotina da polícia municipal de Assunção e a Polícia Nacional para verificação de documentos.

O médico brasileiro, de 77 anos, foi detido no bairro de Villa Morra, uma das áreas mais caras da capital paraguaia. Abdelmassih residia em uma luxuosa casa com sua mulher de 37 anos.

Quando os policiais verificavam os documentos do fugitivo da Justiça brasileira perceberam que era buscado pela Interpol. A detenção ocorreu na hora do almoço.

(Foto: Divulgação)Abdelmassih foi colocado à disposição da Justiça e será extraditado ainda nesta quarta para Foz do Iguaçu. Ele dormirá na carceragem da Polícia Federal e, na quarta-feira, deve seguir de avião para São Paulo

O secretário anti-drogas Luis Rojas e o diretor do Departamento de Migrações, Enrique Kronaweter farão uma coletiva de imprensa durante esta tarde. A imprensa paraguaia chama Abdelmassih de “o doutor Terror”.

Caso. Abdelmassih mantinha uma clínica de fertilização na Avenida Brasil, área nobre da capital paulista, quando foi preso em 17 de setembro de 2009 sob acusação de abuso sexual.  Ele foi solto após 129 dias de cárcere após o Supremo Tribunal Federal pedir sua soltura.

As investigações começaram em 2008, depois que uma ex-funcionária da clínica de luxo procurou promotores para relatar que o médico teria tentado beijá-la à força.