FolhaPress

EUA autorizam envio de 3 mi de doses da vacina da Janssen ao Brasil

Segundo o Ministério da Saúde, a previsão é de que os imunizantes cheguem na próxima semana, mas ainda não há data definida

DF suspende uso de 40 mil doses da Janssen após elas chegarem congeladas Governo anuncia atraso nas vacinas da Janssen, mas não diz nova data
Em comunicado, a empresa indicou ainda que imunizante de dose única mostrou surtir efeito por ao menos oito meses (Foto: reprodução/FolhaPress)

A FDA, agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, autorizou o envio de 3 milhões de doses de vacinas da Janssen (braço farmacêutico da Johnson & Johnson) ao Brasil.

Segundo o Ministério da Saúde, a previsão é de que os imunizantes cheguem na próxima semana, mas ainda não há data definida.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pretende dar mais detalhes em entrevista à imprensa neste sábado.

Como a Folha mostrou, as 3 milhões de doses que vão chegar ao Brasil têm prazo de validade até 27 de junho e precisam ser aplicadas até esta data.

As vacinas devem ser distribuídas apenas às capitais –o que já estava sendo feito com a Pfizer, que exigia um esquema especial de manutenção a baixas temperaturas.

O Ministério da Saúde diz também que fará uma ampla campanha de utilidade pública incentivando as pessoas a procurarem os postos de saúde.

Segundo a pasta, o país tem capacidade de aplicar até 2,4 milhões de doses de vacinas por dia.

O contrato, assinado em março deste ano, garante 38 milhões de doses do imunizante ao Brasil. A previsão inicial de entrega era de 16,9 milhões de doses entre julho e setembro e 21,1 milhões de outubro a dezembro.

A vacina fabricada pela Johnson & Johnson tem eficácia global de 72%. Já a proteção contra casos graves da doença é de 85%, segundo estudo realizado em janeiro deste ano.

Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 120 colunistas. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira.