Gente como a gente

‘Eu vou às Lojas Americanas’, disse Fátima Bernardes, que assegura ter uma vida normal

Apresentadora ainda confirmou que não se preocupa com os paparazzi, apenas não gosta que as pessoas que estão com ela também sejam expostas




Fátima Bernardes disse que é uma mulher normal e que faz coisas comuns como qualquer outra pessoa. A apresentadora do programa ‘Encontro’, da Rede Globo, afirmou ainda, em entrevista ao jornalista Leo Dias, que não se preocupa com o assédio dos paparazzi, apenas se incomoda com as pessoas que ficam expostas junto com ela, como por exemplo seus filhos e amigas.

“A gente que trabalha com comunicação sabe que tem o ônus e o bônus. Tem o bônus que é ter o carinho das pessoas. Se você fica gripada, tem milhões de pessoas torcendo para você ficar boa. Tem uma coisa muito bacana. Mas tem esse ônus, que é uma curiosidade exagerada. Você nunca pode estar desarrumada. Você nunca pode estar brava. Você nunca pode estar nada. Você tem que sempre estar bem. Sempre com uma imagem que corresponde a que você tem no ar. É um ônus. Eu acho que eu lido muito bem com isso. Quando eu falo que o paparazzo me incomoda, eu me refiro às pessoas que estão comigo. Eu tenho amiga que a gente vai almoçar e ela acaba aparecendo nesses sites. É chato! A pessoa não quer ser fotografada. Eu tenho filhos! Ainda mais adolescente. O cabelo não está bom. Para eles não é muito agradável. Eu me incomodo com as pessoas que estão comigo. Mais do que comigo mesma”, disse a apresentadora, que ainda reafirmou que tem uma vida normal: “Eu vou às Lojas Americanas, como eu preciso entrar em uma farmácia para comprar. Outro dia saiu também uma foto em que eu estava com uma sacola. E na matéria dizia o que teria naquela bolsa. Eu fico um pouco surpresa: Por que isso desperta um grande interesse? E é sempre no mesmo lugar. Eu moro na Barra da Tijuca. É tudo feito em shopping. Eu sempre vou estar fazendo alguma coisa no shopping: caixa eletrônico, farmácias , médicos… Tudo é em shopping. Parece que você está toda a tarde no shopping”.

Ainda de acordo com Fátima, suas fãs adoram saber o que ela está vestindo no programa e qual é o tipo de corte de cabelo que ela está usando. “Agora não é só o cabelo. E, sim, o conjunto. Hoje em dia, as pessoas veem o visual todo. Hoje, elas diluem a curiosidade. E, não só no cabelo. No ‘Jornal Nacional’, eu ficava sentada. Eu fiz ‘Fantástico’ de pé, lá atrás. E as pessoas queriam saber o que eu usava na época. As pessoas têm uma curiosidade. E é bacana, né? Eu acho que eu tenho um tipo físico razoavelmente normal. Nem gorda, nem magra. Acho que as pessoas se identificam. Sou comum. Olhos castanhos, Cabelos castanhos, como a grande maioria. Então, eu acho que isso também ajuda nessa identificação. Elas falam: ‘Ficou bom nela, acho que vai ficar bem em mim também’. Acho que vai por aí”, explica a apresentadora.

No final da entrevista, Fátima Bernardes disse que se sente mais tranquila agora, uma vez que não está sendo mais comparada à apresentadora americana Oprah Winfrey. “Eu sempre achei que a comparação não devia acontecer, porque eu sabia que o perfil do meu programa não era o mesmo que ela faz. Eu achava um grande elogio. Que, na verdade, era alguém que era jornalista e virou uma grande comunicadora. É uma referência americana. Para mim, nunca tive nenhum tipo de desconforto, não. Agora, fico feliz que as pessoas falem que esse é o programa da Fátima que tem a cara que a gente tem que ter. A cara do nosso público, a cara de nossa TV, a minha cara”, finalizou.