Educação

Estudantes querem que PUC Goiás reveja mensalidades durante a quarentena

Segundo ofício enviado à reitoria, por conta da pandemia, parte dos alunos enfrenta dificuldades financeiras


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 24/03/2020 às 17:26:14

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O Diretório Central de Estudantes (DCE) da PUC Goiás, junto com outras entidades estudantis, enviou à reitoria da universidade um ofício que pede pelo reajuste da mensalidade. A demanda é que o valor seja revisto “durante a adoção do Sistema Letivo Remoto adotado como medida emergencial pela Universidade, para redução de danos da pandemia do Covid-19” – já que houve, segundo o documento, “readequação contratual na modalidade letiva”.

Na justificativa, o ofício enviado na segunda-feira (23) expõe que, em decorrência da pandemia do coronavírus, grande parte dos alunos enfrenta dificuldades financeiras para efetuar o pagamento da mensalidade integral, uma vez que houve a suspensão das atividades laborais. O documento pede, ainda, a possibilidade de trancamento da matrícula, sem ônus; abatimento do valor das disciplinas de laboratório e estágio que por ora estão suspensas; e “dilação o do prazo de vencimento dos boletos da mensalidade, possibilidade de parcelamento e abatimento do valor dos juros”.

Estudantes

O Mais Goiás foi procurado por diversos alunos da instituição. Um deles, do nono período de fisioterapia, informou que está no internato e faz estágios em hospitais. Segundo ele, não é justo substituir as aulas práticas por aulas online – o que tem ocorrido – e ainda ter que pagar o mesmo valor na mensalidade.

“Está complicado todo esse silêncio. Ninguém dá suporte a ninguém, ninguém está sendo capaz de esclarecer as nossas dúvidas e a data pra vencer a mensalidade está próxima”, relatou. “Eles querem que a gente pague por algo que não estamos usufruindo”, disse outro.

“Somos 50 alunos”, relata Bruna Miranda de Oliveira, que também faz parte do nono período de fisioterapia. “Esperamos que acabem essas aulas online, uma vez que as plataformas nem funcionam, e as mensalidades sejam suspensa nesse período. De qualquer forma, vamos ter que repor essas aulas em julho.”

Segundo ela, para áreas de humana, o reajuste talvez fosse interessante, mas para o curso de saúde não faz sentido. O ideal para a estudante é a suspensão, como já apontado.

O Mais Goiás tenta contato com a  PUC Goiás. O espaço permanece aberto.