Manifestação

Estudantes e servidores da UEG paralisam atividades no campus de Palmeiras de Goiás

O grupo reivindica melhorias na universidade, principalmente em relação à infraestrutura e à manutenção de equipamentos


Juliana França
Do Mais Goiás | Em: 03/10/2018 às 18:34:47

Paralisação ocorreu na manhã desta quarta-feira (3). (Foto: Leitor/Mais Goiás)
Paralisação ocorreu na manhã desta quarta-feira (3). (Foto: Leitor/Mais Goiás)

Estudantes de graduação, professores e técnicos administrativos paralisaram as atividades nesta quarta-feira (3), no campus da Universidade Estadual de Goiás (UEG), no município de Palmeiras de Goiás. A movimentação começou por volta das 8h30 e terminou às 12h.

O grupo reivindica melhorias na Universidade, principalmente em relação à infraestrutura. De acordo com estudantes que participaram do ato, a manifestação foi pacífica e tinha cerca de 80 pessoas. “Nós passamos a manhã em frente ao campus da universidade com faixas e cartazes. Depois seguimos pelas ruas até o Centro da cidade. Durante o ato, a universidade não se manifestou e nós continuamos sem resposta”, disse estudante que preferiu não se identificar.

Em nota enviada ontem (2/10) ao Mais Goiás, a UEG “se coloca à disposição para sanar quaisquer dúvidas, além de manter o diálogo aberto, entendendo que o direito à livre manifestação é prerrogativa de uma sociedade democrática”.

Reclamações

Segundo professores e alunos muitas salas de aula estão com janelas estragadas e lâmpadas queimadas. Eles disseram ainda que falta manutenção em bebedouros, computadores e microscópios. Além disso, faltam utensílios básicos, como papel higiênico, produtos de limpeza e até papel para impressão de provas. Outra reivindicação é em relação ao atraso no pagamento dos bolsistas da Universidade e das diárias aos servidores.

Esta não é a primeira paralisação em prol de melhorias na infraestrutura da instituição. No último dia 20, os estudantes do Campus de Itumbiara também paralisaram as atividades. Além de Itumbiara, houve paralisações nos campus de Iporá e Porangatu.

(Foto: Leitor/Mais Goiás)

(Foto: Leitor/Mais Goiás)

(Foto: Leitor/Mais Goiás)

(Foto: Leitor/Mais Goiás)