Páscoa saudável

Estudantes desenvolvem chocolate vegano feito com beterraba, em Goianira

Sem glúten e lactose, a mistura promete animar a páscoa de quem possui intolerância alimentar, alergia ou simplesmente busca uma alimentação mais saudável


Thaynara Cunha

Do Mais Goiás | Em: 15/04/2019 às 18:18:40


Proposta da startup é produzir cremes de chocolate saudável com valor equivalente aos produzidos com chocolate tradicional (Foto: Divulgação / Nutricandies)
Proposta da startup é produzir cremes de chocolate saudável com valor equivalente aos produzidos com chocolate tradicional (Foto: Divulgação / Nutricandies)

A Páscoa está chegando e com ela a vontade de se deliciar com guloseimas feitas de chocolate. Contudo, nem todo mundo pode consumir os ingredientes presentes nas fórmulas do chocolate, seja devido à intolerância ou pela escolha de não consumir produtos de origem animal. Pensando nisso, um grupo de alunos da Universidade Federal de Goiás (UFG) criou uma startup que produz chocolates veganos feitos à base de vegetais.

A Nutricandies, criada em 2017, propõe estimular o consumo de  chocolates saudáveis e mais naturais, pelo mesmo preço dos cremes de chocolate tradicionais. Um pote de 200g chega ao consumidor com um preço médio de R$ 13 e R$ 20.

Os produtos são feitos com vegetais como beterraba, cenoura e maçã. Todos sem glúten e lactose. Para chegar à fórmula de sucesso foram necessários vários testes e passar pela aprovação de diversos públicos. Hoje, a ideia é levar opções de doces mais nutritivos para todas as pessoas.

“O feedback é muito positivo. As pessoas que provam do nosso chocolate gostam bastante e chegam a não acreditar que são produzidos com vegetais, como cenoura ou maçã”, o idealizador e CEO da startup, Gustavo Henrique Amaral.

Com a proximidade da Páscoa, o jovem afirma que a produção triplicou devido à demanda. Por mês a startup produz em média 300 potes de chocolate, mas a produção subiu para 900 unidades. Gustavo afirma que existe a intenção de expandir o projeto mas os planos “estão no escopo secreto da empresa”.

Também estão à frente da startup outras duas alunas da UFG:  a acadêmica em Engenharia de Software, Joyce Beatriz; e a estudante de Farmácia, Ana Caroline Teixeira. Joyce atua nas áreas de impacto e financeiro, enquanto Ana em operações e tecnologia.

Gustavo explica que a ideia surgiu ao observar a irmã mais nova, que não queria comer vegetais, apenas doces. “Eu ainda estava no Ensino Técnico em Química, mas comecei a tentar produzir doces feitos com vegetais que não perdessem seus valores nutricionais no processo de produção. Daí nasceu a ideia de fazer um creme de chocolate, tipo Nutella, que fosse saudável e nutritivo”, relembra.

O chocolate desenvolvido pela Nutricandies, atualmente é fabricado no município de Goianira, mas em breve será produzido em Goiânia. O doce está disponível para consumo em diversos comércios de alimentação saudável em Inhumas e na capital. Para encontrar os locais de revenda, basta entrar em contato com a equipe da startup pela página oficial no Instagram (@Nutricandies).

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo