Sem professores, sem aulas

Estudantes da UEG suspendem aulas por falta de professores

Alunos do curso de Medicina Veterinária do Campus São Luis de Montes Belos suspenderam atividades no último dia 4 de setembro. Não há previsão de retorno


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 09/09/2019 às 16:34:26

Alunos do curso de Medicina Veterinária da UEG, Campus São Luis de Montes Belos, denunciam suspensão de aulas por falta de professores (Foto: Reprodução)
Alunos do curso de Medicina Veterinária da UEG, Campus São Luis de Montes Belos, denunciam suspensão de aulas por falta de professores (Foto: Reprodução)

Suspensão de aulas por falta de professores. É isto que denunciam alunos do curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual de Goiás (UEG), Campus São Luis de Montes Belos. Atividades do curso foram suspensas no último dia 4 de setembro após assembleia geral dos estudantes. Ainda não há previsão de retorno. Na data em que se comemora o dia do médico veterinário, 9 de setembro, o Mais Goiás teve acesso a carta escrita pelos acadêmicos à imprensa.

No documento, os alunos explicam que o curso possui seis turmas atualmente. Duas delas sequer iniciaram o segundo semestre letivo em agosto. As outras quatro tiveram as atividades suspensas no início de setembro. O objetivo da paralisação, conforme os discentes, é reivindicar a contratação de professores para dar continuidade ao cronograma do curso.

De acordo com a carta, um concurso público para a contratação de seis professores foi realizado entre março e julho de 2019. Todas as etapas foram realizadas por uma comissão interna, sem custos ao Estado. Apesar disso, o certame se encontra parado e os aprovados ainda não foram nomeados.

Ainda segundo os estudantes, a autorização do Governo para a nomeação dependia da elaboração de uma planilha de impacto econômico que comprovasse a necessidade das nomeações e capacidade de manutenção dos docentes. O documento foi elaborado e enviado pela UEG, mas até o momento não houve retorno.

“Os alunos continuam sem aulas, correndo o risco até mesmo de perder o semestre letivo. Com os professores aprovados em concurso, o curso poderá seguir até o final, com excelência. Só queremos o direito de estudar”, diz trecho.

Em nota, a UEG confirmou que realizou concurso público no início deste ano. A previsão era de que os docentes fossem convocados até o final de julho de 2019, para que entrassem em exercício no segundo semestre letivo. A Universidade informou que já encaminhou a solicitação de convocação dos docentes e aguarda as nomeações. O Mais Goiás entrou em contato com o Governo e espera retorno.

Manifestação

Segundo Felipe Barbosa, um dos estudantes que está à frente do movimento, os alunos planejam manifestar na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), nesta terça-feira (10). “Estamos preparando cartazes e faixas e iremos protestar a nomeação desses professores. Os estudantes também pretendem protocolar denúncia no Ministério Público de Goiás (MP-GO).

O acadêmico lembrou ainda que a decisão de suspender as atividades do curso não partiu dos professores. “Fizemos uma assembleia estudantil e depois tivemos uma reunião com os professores para comunicar nossa decisão de parar as aulas. Não estamos sem aula para ficar à toa, mas sim para estruturar o movimento. Vamos lutar pelo nosso direito de estudar”, afirmou.