MULTA

Estudante que teve carro arrombado será ressarcida por universidade, em Goiânia

PUC-Goiás terá que pagar multa de R$ 6 mil para aluna. Veículo estava dentro do estacionamento da instituição em fevereiro de 2019

Cidades

Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 16/01/2020 às 19:24:31

PUC-Goiás terá que pagar multa de R$ 6 mil para aluna. Veículo estava dentro do estacionamento da instituição em fevereiro de 2019 (Foto: Google Street View)
PUC-Goiás terá que pagar multa de R$ 6 mil para aluna. Veículo estava dentro do estacionamento da instituição em fevereiro de 2019 (Foto: Google Street View)

A Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), foi condenada na última segunda-feira (16), a pagar multa de R$ 6 mil a uma estudante que teve o carro arrombado. O veículo estava dentro do estacionamento da instituição em fevereiro de 2019. Roberta Nasser Leone, juíza do 5º Juizado Especial Cível, baseou a decisão no Código de Defesa do Consumidor (CDC), pois considerou que houve falha do serviço prestado pela Universidade.

Na ata do processo, a magistrada destacou que a instituição não cumpriu os preceitos básicos de serviço prestados aos estudantes. Ela categorizou o caso como dano moral indenizável. À época, nas redes sociais, outros estudantes comentaram o caso. As postagens foram citadas como demonstração de serviço insuficiente por parte da PUC-Goiás. “O fornecedor de serviço responde, independentemente, da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores”, pondera juíza.

“Não há dúvidas quanto a obrigação da requerida em indenizar a vítima de danos oriundos da subtração do bem móvel ou outros bens nos locais de sua administração”, destaca. Ela ressaltou, ainda, que as imagens do local do estacionamento deveriam ter sido apresentadas para análise.

Para Roberta Nasser, o fato de não ter havido acordo trouxe um desgaste indesejado à estudante. “A falta de informações precisas do que está sendo cobrado evidencia a falha na prestação, uma vez que a estudante tentou resolver a questão com a instituição, porém, não obteve êxito”, frisa.

O Mais Goiás entrou em contato com a Universidade para que ela se posicionasse sobre o assunto, mas não obteve retorno