Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás

“Estávamos de mãos atadas”, diz secretário da Saúde sobre aquisição de vacinas

STF liberou para estados e municípios realizarem importação e distribuição de imunizantes com aquisição direta

Todos os trabalhadores da linha de frente no combate ao novo coronavírus foram vacinados no estado de Goiás. (Foto: Jucimar de Sousa)
Secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino (Foto: Jucimar de Sousa)

O secretário da Saúde, Ismael Alexandrino, disse ao Mais Goiás que o governo já fazia tratativas para aquisição de vacinas contra covid-19. Com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que permitiu que estados e municípios realizem a importação e distribuição dos imunizantes, a aquisição direta passa a se tornar uma possibilidade real.

“Já vinhamos conversando com algumas [farmacêuticas] e continuamos dialogando. Sem essa decisão do STF, estávamos de mãos atadas, esperávamos as aquisições do Ministério da Saúde”, salienta Alexandrino.

“Com esta decisão, conversei com o governador e este assunto agora tratamos como uma possibilidade. Ele capitaneará este assunto no Fórum de Governadores. E internamente temos feito os movimentos que a gestão precisa fazer”, continua.

Após a decisão do STF, o governador adiantou ao Mais Goiás que, com a liberação  pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina da Pfizer pode ser uma opção.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Mais Goiás (@maisgoias)

Deputados

Durante a sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Goiás, de terça-feira (23) deputados cobraram do governo a aquisição das vacinas. A deputada Lêda Borges (PSDB) disse que, com a chegada de vacinas, pode haver ampliação da campanha de vacinação dos grupos prioritários.

Adriana Accorsi (PT) defendeu  ampliação da vacinação contra a covid-19. “Somente a vacina poderá nos proteger”, salientou.