FolhaPress

Estados do Norte relatam dificuldades no fornecimento de oxigênio e pedem verba

Roraima, Rondônia e Amapá, além do Amazonas, descrevem aumento de demanda por gás e falta de mão de obra especializada

Estados do Norte relatam dificuldades no fornecimento de oxigênio e pedem verba
Cilindros de oxigênio (Foto: Divulgação)

A redução da verba federal para leitos de UTI dedicados à Covid-19 preocupa principalmente os estados da Região Norte. Além do aumento do número de casos, os gestores locais enfrentam falta de mão de obra especializada e dificuldades no fornecimento de oxigênio —Amazonas, Roraima, Rondônia e Amapá já relataram o problema ao governo federal. A lógica é que, quanto menos leitos forem pagos pela União, menor a condição de prestar atendimento e até de receber socorro de outros estados.

Levantamento fechado neste domingo (7) aponta que 570 pacientes foram transferidos de Manaus para 19 cidades de outros estados desde o colapso no mês passado. Destes, 282 ainda estão internados nas redes estaduais e em hospitais universitários federais. Rondônia também já está transferindo pacientes, em estado mais grave e já em atendimento de UTI.

Os governadores da Amazônia Legal, que inclui ainda Mato Grosso e Maranhão, divulgaram uma carta, neste domingo (8), pedindo que o governo volte a bancar leitos de UTI para Covid-19 nos estados, que somavam 12.000 no fim do ano e, neste mês, recuaram para cerca de 3.000.

O Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) apresentou como sugestão ao Ministério da Saúde montar um hospital de campanha em Brasília, bancado com recursos próprios, para centralizar a transferência dos pacientes da Região Norte.