STJD

Estádio Serra Dourada é interditado pela Justiça Desportiva

Na decisão, o presidente do STJD afirma que novos jogos só poderão ser realizados no local quando for providenciada alguma solução que impeça o acesso dos torcedores à geral


Thiago Burigato

Do Mais Goiás | Em: 29/06/2017 às 10:18:50


Torcedor do Goiás foi espancado mesmo desacordado. Briga teve início logo após a partida do último sábado (24), que terminou com a vitória do Vila Nova por 2 a 0 (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Torcedor do Goiás foi espancado mesmo desacordado. Briga teve início logo após a partida do último sábado (24), que terminou com a vitória do Vila Nova por 2 a 0 (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Ronaldo Botelho Piacente, determinou a interdição do Estádio Serra Dourada tendo em vista o episódio de pancadaria generalizada ocorrido no local no último sábado (24), após partida entre Vila Nova e Goiás. Na decisão, o juiz afirma que novos jogos só poderão ser realizados no local quando for providenciada uma barreira física ou outra solução que impeça o acesso dos torcedores através das arquibancadas até a geral.

A briga teve início logo após o jogo, que terminou com a vitória do Vila Nova por 2 a 0. Imagens flagraram o confronto e o momento em que um torcedor do Goiás foi espancado mesmo desacordado. A Polícia Civil identificou alguns dos envolvidos no episódio e ainda apura o caso.

A determinação do presidente do STJD, proferida nesta quarta (28), atende a solicitação da Procuradoria. Ele condicionou a liberação do Serra Dourada à vistoria da CBF com laudos obrigatórios para o pleno funcionamento do estádio e segurança dos torcedores. Na denúncia, a Procuradoria ressaltou que a geral está interditada, “mas de facílimo acesso, foi transformada em cenário de selvageria. Enquanto for possível, ou ao menos, fácil, o acesso à geral, não haverá segurança no estádio”

Além de pedir a interdição, a Procuradoria também denunciou os clubes por descumprirem o regulamento após o fim da partida. O julgamento do processo, porém, ainda não foi agendado.

Para a Procuradoria, tanto o Goiás quanto o Vila Nova infringiram artigos do CBJD por deixarem de cumprir o regulamento da competição, já que os clubes, sejam mandantes ou visitantes, são responsáveis por qualquer conduta imprópria do seu respectivo grupo de torcedores. No entendimento do órgão, não foram tomadas as providências necessárias para prevenir ou reprimir a desordem.

Caso condenados, os clubes podem ter de pagar multa de R$ 100 a R$ 100 mil e perder de um a dez mandos de campo. Nesse caso as opções seriam jogar em Goiânia com os portões fechados ou a uma distância mínima de 100 quilômetros da capital, com a presença do público liberada. Os dois estádios mais próximos que atendem a esse requisito são o JK, em Itumbiara, e o Mané Garrincha, em Brasília.