Do Mais Goiás

Escolas já estão prontas para aulas presenciais em agosto, diz governo de Goiás

“Vamos seguir criteriosamente o que determina o COE", diz Patrícia Moraes Coutinho

Escolas já estão preparadas para o retorno em agosto, diz superintendente da pasta
Escolas já estão preparadas para o retorno em agosto, diz superintendente da pasta (Foto: Seduc)

Com a possível imunização total dos professores e pessoas com comorbidades contra a Covid-19 até o fim de julho, o governador Ronaldo Caiado (DEM) disse em entrevista à TV Anhanguera, que as aulas presenciais devem retornar em agosto. Segundo a superintendente de Organização e Atendimento Educacional de Goiás, Patrícia Morais Coutinho, as unidades de ensino já estão preparadas para receber os estudantes.

“Vamos seguir criteriosamente o que determina o Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública de Goiás”, garante ao ser questionada sobre os alunos não estarem imunizados. Segundo ela, já foram feitas as aquisições para atender os protocolos de biossegurança, como face shield (máscara de proteção), termômetros, além de demarcação de distanciamento não só dentro das salas, mas nas áreas internas.

Patrícia lembra, ainda, que a última nota técnica do COE prevê o retorno apenas de 30% dos alunos. Caso haja uma nova nota com a ampliação deste número, ocorrerão adequações para o recebimento dos estudantes. Além disso, ela afirma que as orientações sobre os protocolos serão reforçadas diariamente, a fim de se tornem um hábito.

Critérios

Sobre os critérios para o retorno, inicialmente voltará aqueles sem conectividade ou com baixa conectividade. Os alunos que têm acompanhando com os materiais impressos, explica Patrícia. “Para garantir a aprendizagem. Também aqueles com baixo rendimento no primeiro semestre.”

De acordo com ele, posteriormente, haverá uma análise – escola a escola – para que ocorra o revezamento. “Mas o pai que não se sentir seguro, pode manter o filho em casa, recebendo o material. É um direito do pai, mas temos que garantir o direito do aluno aprender”, enfatiza.

Questionada sobre a retomada neste momento, a superintendente afirma que muitos alunos têm tido dificuldades, mesmo com o calendário escolar sendo garantido. “Nem todos se adaptaram.” Com este retorno, a expectativa é entender as necessidades individuais e trabalhar em cima delas, ela explica.

Saúde

O Mais Goiás também fez contato com a secretaria de Estado de Saúde (SES-GO), via e-mail, por volta das 15h30, pedindo detalhes sobre a vacinação dos professores (se alguns já teriam recebido a segunda dose e qual a eficácia com apenas uma dose da vacina). Até o fechamento, não houve retorno.