Na TV

Entrevista de Ana Hickmann deixa Record em primeiro lugar na audiência

Entrevista da apresentadora foi feita pelo 'Domingo Espetacular'


Bang ShowBiz
Do Bang ShowBiz | Em: 23/05/2016 às 09:10:22


A primeira entrevista de Ana Hickmann após o atentado que sofreu no último sábado, 21, em Belo Horizonte, rendeu 20 pontos de audiência com picos de 22 para o ‘Domingo Espetacular’, da Rede Record.

De acordo com a colunista Keila Jimenez, toda a reportagem registrou 19.2 pontos, ficando em primeiro lugar, enquanto a Rede Globo marcava 16.6 com o ‘Fantástico’.

Durante a reportagem, Ana Hickmann descreveu com detalhes os momentos que passou sob a mira de uma arma quando um suposto fã chamado Rodrigo Augusto de Pádua invadiu o quarto do hotel onde ela estava junto com seus cunhados, Giovana e Gustavo, disposto a matá-la.

“É difícil de acreditar que aquela imagem, aquela cena, tiros, que a minha cunhada está hospitalizada em estado delicado… Parece cena de filme”, contou a apresentadora.

Segundo Ana, o crime foi premeditado. “Alguém bateu a porta e eu falei: ‘É o Júlio [cabeleireiro]’. Dai eu abri a porta e era meu cunhado dizendo: ‘Ana, entra, tem um cara atrás de mim’. Tinha um cara com uma arma na nuca dele. Quando eu entrei, o cara já apontou a arma para mim e falou: ‘Eu vim me acertar com você, sua vagabunda’. Na hora que ele entrou, a primeira coisa que me passou pela cabeça foi que era um assalto, um arrastão, eu até esperava que mais gente entrasse. Só que ele veio pra cima de mim, começou a me ofender, a me humilhar. Ele dizia que eu tinha acabado com a vida dele. Ele veio determinado a me matar. Eu tinha certeza que ele ia acabar comigo. O tempo todo ele dizia que eu não prestava, que eu era uma mentirosa, que por muito tempo eu correspondi ao amor dele. Fazia menções o tempo todo de Instagram, de redes sociais e, principalmente, do Facebook. Ele começava a dizer: ‘pra quem você fez aquela postagem, aquele biquinho, confessa que era pra mim’. E junto com isso vinham outras coisas pornográficas que ele usava pra me humilhar, que eu queria ter momentos íntimos com ele”, desabafou aos prantos.

A apresentadora contou que Rodrigo entrou no seu quarto disposto a acabar com sua vida.

“Ele foi de uma frieza e de uma confiança, mas dessa vez pela primeira vez na minha vida eu sabia que ia morrer. Ele olhava pra mim e não piscava, ele olhava pra mim com ódio. Eu nunca pensei que alguém pudesse sentir isso por mim. Ele deixou bem claro que pelo fato de eu não ser dele eu não seria de mais ninguém”, contou.

Ao ser questionada se no momento do ataque ela reconheceu o invasor, Ana disse que não. “Eu não reconhecia, tanto que na hora eu falava: ‘moço, eu não sei o seu nome, me ajuda a lembrar de você’. Mas ele não falava o nome, em momento nenhum. Ele falava: ‘você sabe sua piranha, você sabe quem eu sou. Confessa pra eles o que a gente teve. O único jeito de você sair viva daqui é confessando’. E eu dizia: ‘moço, eu não te conheço, eu não sei do que você está falando. Pelo amor de Deus, eu tenho um filho pequeno'”, disse.

Apesar da emoção, Ana ainda contou como foi o momento dos primeiros disparos, que atingiram sua cunhada Giovana.

“A minha cunhada rezava o tempo todo, mas à certa altura eu comecei a ficar muito nervosa, pois eu não tinha mais argumento para falar com ele. Meu cunhado o todo tempo dizia: ‘não faça isso, moço, o telefone está tocando, a polícia vai chegar aqui a qualquer momento’. Mas no que eu me virei, ele apontou a arma para a minha cabeça e engatilhou o 38. No que ele fez isso, eu perdi o controle do meu corpo totalmente e eu não sei se eu desmaiei, mas eu ouvia tudo o que acontecia. Eu acho que eu caí no colo da minha cunhada. É nessa hora que ele vem, aponta a arma pra minha cabeça e dispara por duas vezes. Mas do jeito que o tiro passou ao lado da minha cabeça, eu acho que ela [cunhada] deve ter feito um movimento pra me proteger. Eu acordei com aquele quente na minha orelha, meu cunhado tentando pegar a arma dele e gritando: ‘corre'”.

Após os disparos, Gustavo e Rodrigo travaram uma luta corporal enquanto Ana e Giovana fugiram do quarto.

“Os dois primeiros tiros eu ouvi, pois eu estava caída e ela [cunhada] jogou o corpo pra cima de mim e me protegeu. Quando eu saí do quarto, eu olhei pra ela e ela olhou pra mim pra ver se via sangue. Ela estava com blusa preta, calça preta, eu não vi nada. Nisso, eu vi o Júlio [cabeleireiro] e um funcionário do hotel. Ele [funcionário] me pegou pelo braço e me puxou para o oitavo andar. Mas eu não vi mais o Júlio e a Giovana. Ele abriu um quarto, me colocou lá dentro e pediu pra eu ficar ali até ele buscar ajuda”, lembra.

“Quando a Polícia Militar, Polícia Civil e a perícia chegaram, eles me deram uma horário: 4 da tarde. Eles disseram que a Giovana estava hospitalizada e o Gustavo estava bem. Até então eu não sabia de nada. Eu fiquei sozinha dentro de um quarto um bom tempo esperando notícias desesperada, imaginando que esse maluco poderia ter matado o meu cunhado e estivesse no hotel”, relembrou Ana.

No dia seguinte, vendo fotos do suposto fã, que acabou sendo morto pelo cunhado de Ana, a apresentadora reconheceu o jovem. “Quando eu vi uma imagem que ele está com o braço pra cima, eu lembrei quem era. Foi o cara que eu havia bloqueado há alguns meses porque estava falando umas coisas muito pesadas, pornografias, e eu falei: ‘vamos bloquear'”.

Ao relembrar de tudo o que aconteceu, Ana disse que agradece à Deus e às pessoas que estavam com ela por estar viva.

“Eu fui salva pelo meu cunhado, pelas pessoas que estavam ao meu redor e por alguém que está lá em cima. Se não fosse o Gustavo segurar ele e dar tempo de a gente fugir, meu marido não iria me buscar do jeito que eu estava, ele iria me buscar no IML”, respondeu chorando.

Mesmo abalada, Ana Hickmann conta que vai tentar seguir sua vida normalmente. “Eu não vou deixar de fazer as minhas coisas, eu não vou deixar de acreditar que as pessoas são boas, eu não posso acreditar que todo mundo é assim. Isso vai passar. A única coisa que eu quero agora é que todo mundo volte pra casa bem. A coisa mais importante eu tenho dentro dessa casa, é a minha família”.

No final, Ana disse que não sente raiva do suposto fã, mesmo depois de tudo o que ela passou. “Voltando pra casa, eu tentei ter raiva desse rapaz por ele ter machucado pessoas que eu amo tanto, mas eu não consigo ter raiva dele. Me veio um sentimento de pena. O que faz uma pessoa achar que tirar a vida de alguém vai fazê-lo melhor. Eu só posso achar que isso é loucura. Que onde ele estiver, ele busque consolo e que ninguém mais passe por isso”, finalizou.