RACISMO É CRIME

Entregador é vítima de racismo em Goiânia: “Esse preto não vai entrar no meu prédio”

Proprietário de hamburgueria disse que irá registrar boletim de ocorrência. "Agora é encontrar forças e tentar superar", diz o entregador


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 27/10/2020 às 12:37:47

(Foto: Reprodução Twitter)
(Foto: Reprodução Twitter)

O entregador de uma hamburgueria localizada no Setor Goiânia 2, foi vítima de racismo por parte de uma cliente no último domingo (25). Quando foi fazer uma entrega em um condomínio de luxo da capital, Elson Oliveira Santos, 39 anos, foi surpreendido quando a pessoa se recusou a ser atendida por ele. O cliente que fez o pedido chegou a enviar mensagens para a hamburgueria. “Esse preto não vai entrar no meu condomínio”, “Mandar outro motoboy que seja branco“, “Eu não vou permitir esse macaco“, lê-se.

“Não toleramos racismo“, foi a resposta do estabelecimento. Os prints foram publicados no Twitter pela gerente do local.

A gerente diz que, à primeira vista, não acreditou no que tinha lido. “Acho que a cliente ligou na portaria para saber se o entregador havia chegado, ficou sabendo da cor dele e se recusou a receber o pedido. A pessoa ainda finalizou o chat dizendo que não compra em restaurante judaico“, diz.

A funcionária  do estabelecimento relembra que precisou explicar o caso para Elson por telefone e pediu para que o entregador retornasse sem entregar o pedido.

“Ele chegou aqui sem reação. Fui para casa chorando, é um absurdo. Meu medo é a pessoa ficar impune, devido ao dinheiro que tem. Mas eu espero que essa criminosa pague pelo crime de racismo que cometeu”, acrescenta.

O proprietário da hamburgueria, Éder Leandro Rocha, disse que na tarde desta terça-feira (27), ele, a gerente do local e Elson Oliveira vão procurar a Polícia Civil (PC) para registrar um boletim de ocorrência.

Entregador é vítima de racismo em Goiânia: "Esse preto não vai entrar no meu prédio"

(Foto: Reprodução Twitter)

Tentando superar

Em conversa com o Mais Goiás, Elson Oliveira disse que nunca tinha sido vítima de racismo enquanto realizava as entregas por Goiânia. “Estou indignado com a situação. Mas agora é encontrar forças e tentar superar“, diz.

Na manhã desta terça-feira (27) foi publicado no Instagram da hamburgueria, um vídeo no qual o entregador aparece agradecendo as mensagens de apoio que tem recebido desde domingo.

“É muito dolorido para gente que trabalha assim, passar por uma situação como essa. Mas eu agradeço a atenção de todos”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Ham Burger (@ham_burgergyn) em

Negros são oito de cada 10 mortos pela polícia no Brasil, aponta relatório