Cidades

Enteada agride madrasta com golpes de martelo, em Anápolis

Garota de 15 anos falou para familiares que encontrou a vítima desacordada. Mulher está em estado grave


Amanda Sales

Do Mais Goiás | Em: 07/02/2018 às 16:48:35


Na delegacia, adolescente confessou a agressão. (Foto: Reprodução)
Na delegacia, adolescente confessou a agressão. (Foto: Reprodução)

Uma adolescente de 15 anos foi apreendida por agredir sua madrasta com golpes de martelo, deixando-a em estado grave, na tarde desta quarta-feira (7), no setor Jardim Nova Esperança, em Anápolis. A garota chegou a informar para os parentes que encontrou a vítima desacordada.

Segundo informações da Patrulha Maria da Penha, da Polícia Militar, ao chegarem na residência da família para atender a ocorrência, a vítima, que não teve a identidade divulgada, já havia sido socorrido por uma equipe do Samu e levada para o Hospital Estadual de Urgências de Anápolis (Huana), em estado grave.

Familiares da vítima informaram aos policiais que a enteada da mulher a encontrou na cama coberta de sangue e com ferimentos na cabeça e pediu por ajuda. Conforme o relato da família à PM, o autor da agressão não foi identificado e, no momento em que chegaram à casa, as portas estavam abertas.

Neste momento, segundo a PM, o esposo da vítima que estava trabalhando foi localizado pelos familiares e se deslocou até o Huana. No hospital, os policiais da Patrulha Maria da Penha ouviram o homem que afirmou ter deixado a esposa dormindo ao sair para trabalhar.

O esposo foi conduzido para a Delegacia Atendimento à Mulher (Deam) de Anápolis onde foi ouvido pela titular da mesma, que também solicitou o depoimento da enteada da vítima. Para a delegada, a garota confessou ter agredido sua madrasta com golpes de martelo enquanto ela dormia.

Uma equipe da Polícia Técnico Científica esteve no local do crime para realização de perícia e encontrou o martelo usado pela adolescente. A jovem foi autuada por tentativa de homicídio. A vítima continua no Huana em estado gravíssimo.

A delegada Marisleide Santos, que cuida do caso, ainda deve concluir o inquérito sobre o ocorrido.