Enfermeiros escrevem carta para confortar casal que perdeu bebê, em Manaus

Funcionários enviaram carta com a pulseira da maternidade e um carimbo com os pés do bebê. "Sei que seriam pais excelentes. Fiquem em paz!"


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 07/10/2019 às 18:22:57

Enfermeiros enviaram carta com a pulseira da maternidade e um carimbo com os pés do bebê (Foto: Reprodução)
Enfermeiros enviaram carta com a pulseira da maternidade e um carimbo com os pés do bebê (Foto: Reprodução)

Para confortar um casal que perdeu o bebê após 21 semanas de gestação, funcionários do Hospital Mulher Dona Lindu, em Manaus, enviaram uma carta com a pulseira da maternidade e um carimbo com os pés do bebê. O gesto singelo viralizou nas redes sociais e emocionou a gestante, Marivete Fonseca Rodrigues, 30 anos.

“Diminuiu a nossa dor pela perda do nosso filho. Nos deram amor e carinho num momento tão difícil e nos emocionaram. Não esperava esse tipo de atendimento num hospital. Eles mostraram que são muito mais que profissionais, são humanos”, afirmou.

Enfermeiros escrevem carta para confortar casal que perdeu bebê, em Manaus

Carta tinha a pulseira da maternidade e um carimbo com os pés do bebê. “Sei que seriam pais excelentes. Fiquem em paz!”, diz a carta (Foto: Reprodução)

“Papai e mamãe, durante 21 semanas e três dias eu pude sentir o quanto vocês me amam e eu também já amava vocês. Sei que seriam pais excelentes. Fiquem em paz! Nasci e voltei para o céu (…) Irei no coração de vocês, aonde forem, para sempre”, diz a carta, que também tem informações sobre o hospital e peso da criança.

A foto da carta foi compartilhada por um estudante de medicina que faz estágio na maternidade. “A equipe de enfermagem fez essa linda carta de despedida da criança aos pais, com o carimbo do pezinho do seu bebê e o intuito de amenizar a dor da perda do seu filho”, escreveu o rapaz nas redes sociais.

A publicação recebeu o apoio de pessoas de diferentes estados do Brasil, que elogiaram a postura humanizada da equipe. “Acolhimento ajuda a curar”, comentou uma pessoa. “O Brasil precisa de mais profissionais sensíveis assim”, disse outra.

*Com informações do site UOL