Do Mais Goiás

Enfermeira cria ‘caminhos de pedras’ para veículo passar e vacinar idosos; vídeo

Iniciativa, segundo a profissional, foi necessária para vacinar idoso que vivem na zona rural do município de Pedra Branca (CE)

Enfermeira cria 'caminhos de pedras' para veículo passar e vacinar idosos; vídeo
Enfermeira cria 'caminhos de pedras' para veículo passar e vacinar idosos; vídeo

A covid-19 escreve histórias tristes, mas consegue construir relações de solidariedade entre os mais afetados pela pandemia. Um exemplo disso partiu da técnica em enfermeira Ana Kalini Aquino, de Pedra Branca (CE). Ela viralizou nas redes sociais após fazer caminhos de pedras para levar idoso da zona rural da cidade à vacinação.

O vídeo foi gravado no último dia 5 de março e mostra Ana colocando pedras em buracos existentes numa estrada de barro para que o carro da prefeitura pudesse passar e vacinar 20 idosos que moram na região. “Não há barreiras para o cumprimento de nossas atividades como profissionais de saúde”, afirma a profissional.

Ela relata que a dificuldade de acesso é um problema crônico da região. “Pedra Branca fica em uma serra. Mesmo com as reformas nas estradas, alguns problemas surgem por causa do período chuvoso”, comenta.

A equipe de saúde presente no dia do “reparo” da via era composta por uma agente de saúde, duas técnicas de enfermagem e o motorista. A gravação do material foi-se necessária para solicitar a autorização da coordenadora para vacinar outros idosos que não estavam na lista de prioridade nesta etapa de vacinação. “Nós gravamos o vídeo para mostrar a necessidade da situação”, destaca.

O plano de vacinação destaca que a primeira dose era para ser dada para os idoso de 90 anos e acamados. Mas a enfermeira comenta que sobraram nove doses e que precisou ampliar a categoria de vacinação entre 80 a 100 anos.

“As vacinas são multidoses, após a abertura a validade do produto é de seis horas. Voltar para a cidade com aqueles frascos seria inviável, tendo pessoas de outras faixas etárias precisando de vacinação”, finaliza.

*Com informações do Jornal O Povo