Do Mais Goiás

Empresa que fornecia corais para casamentos em Goiânia fecha e 34 casais alegam prejuízo

Defesa afirma que fará o levantamento e buscará o acordo com os noivos

Empresa de coral de casamento em Goiânia encerra atividades e 34 casais alegam prejuízos
Empresa de coral de casamento em Goiânia encerra atividades e 34 casais alegam prejuízos (Foto: Reprodução)

O fim das atividades da empresa “D’Angellus”, especializada em fornecer orquestras e corais para casamentos, transformou-se em dor de cabeça para 34 casais que a contrataram. Uma parcela desse grupo de clientes já pagou o valor integral pelo serviço dos músicos e outra parcela quitou parte do valor. Nenhum deles sabe se vai conseguir reaver o dinheiro ou se poderá contar com a D’Angellus no dia da cerimônia. A empresa funcionava em Goiânia e comunicou o seu fechamento na quinta-feira (9).

“Entrar em contato com o advogado da empresa para esclarecimentos quanto ao encerramento das atividades da empresa D’Angellus”, informa a mensagem que deixa o contato.

(Foto: Reprodução)

Um dos casamentos prejudicados está previsto para sábado, 11 de setembro. A noiva só soube na quinta que não teria os serviços de coral.

Uma outra noiva informou ao portal que esteve com o proprietário da empresa, Ângelo Martins, na quarta-feira (8) para definir as músicas e ele não disse nada sobre o encerramento das atividades. “Organizamos tudo, ele não me falou nada. Contratei o coral em dezembro do ano passado.”

Em um grupo de WhatsApp formado por noivas e noivos que contrataram o serviço, uma reclamação é unanimidade: o proprietário da empresa não responde mais mensagens e teme-se que ele já esteja longe.

Uma das noivas se casaria em 5 de fevereiro do ano que vem. Ao Mais Goiás ela informou que a maioria pagou à vista. “Eu paguei R$ 1,7 mil, mas há algumas que pagaram mais de R$ 4 mil. Em alguns casos, ele [o dono] pressionou para pagar antecipado. Duas moças do nosso grupo vão casar amanhã”. A mulher acredita que há outras pessoas de fora do grupo que também serão prejudicadas.

Questionada sobre os prejuízos, ela diz que, como pagou no cartão, deve conseguir o reembolso. Além disso, deve conseguir marcar com outra empresa, uma vez que ainda há tempo hábil para isso.

“Por ser um momento especial, muitas pessoas acabam tomando decisões precipitadas. Mas esta era uma empresa bem recomendada e a maioria das pessoas ficou surpresa”, relatou.

Um noivo, que esteve na Delegacia do Consumidor, informou que aqueles com casamento marcado neste fim de semana devem procurar o estabelecimento nesta segunda-feira (13). “O ato consumado, o crime, só ocorre se não houver  a prestação de serviço.”

Posição da defesa da empresa de coral de casamentos

O advogado de Ângelo e da D’Angellus, Marcelo Patrocínio, informou ao Mais Goiás que o empresário tentou honrar todos os compromisso até quando conseguiu. Contudo, a pandemia da Covid-19 agravou a situação e ele não conseguiu, “deste ponto em diante, honrar esses compromissos”.

Ainda segundo Marcelo, a partir da próxima quarta-feira (15), ele e Ângelo, que ainda não se reuniram, terão um encontro para analisar todos os casos. O advogado, contudo, adianta que o empresário já se comprometeu a chamar os clientes e fazer um acordo. “Faremos os levantamentos”, declarou.

Contratos e pagamentos

Alguns casais autorizaram a mostrar o contrato e o pagamento. Confira:

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)