Empresa de transporte urbano de Caldas Novas encerra contrato

A BT21 abriu mão da concessão pública do serviço. Prefeitura assumiu transporte dos alunos do município




Após a empresa BT-21 suspender o serviço de transporte urbano em Caldas Novas, a prefeitura assumiu nesta quarta-feira (26) o transporte dos alunos do município.

Em nota, a BT-21 informou que abriu mão da concessão pública assinada junto a prefeitura e alegou 8 motivos para a decisão, entre eles que a quantidade de usuários que era insuficiente. “A demanda de passageiros apresentada pela prefeitura de Caldas Novas, qual seja de 4.500 passageiros/dia, estava em total desconformidade com a realidade’’, diz o texto. A média diária, de acordo com a direção, era de quase mil usuários/dia.

A empresa ainda afirmou que teve um prejuízo de quase R$ 7 milhões e que solicitou um reequilíbrio econômico do contrato, mas não obteve respostas da prefeitura de Caldas Novas. “BT21 (Concessionária), por culpa exclusiva da administração pública, irá suspender seus serviços a partir do dia 27 de outubro de 2016 por total impossibilidade econômica de sustentar a continuidade do contrato’’, justifica, em nota.

A BT-21 começou operando com 10 veículos que circulavam em 14 linhas. Além de ônibus modernos, o contrato previa a construção de um terminal rodoviário que agora está com obras paralisadas.

Não é a primeira vez que os usuários de Caldas Novas ficam sem o transporte coletivo. Outras empresas como a AlexTur, Paraúna e Enlace tiveram a concessão pública suspensa.

Nova licitação

A prefeitura de Caldas Novas informou, em nota, que irá abrir um novo processo licitatório para contratar outra empresa para fazer o serviço. O Executivo Municipal ainda ressaltou que a empresa BT21 “não cobriu financeiramente nem 20% dos valores investidos na implantação do sistema”, e que isso motivou a queda do número de passageiros e o consequente declínio da concessão do serviço a outras empresas do ramo. (Confira abaixo a nota na íntegra)

Rotas

Os ônibus disponibilizados pelo Executivo Municipal vão atuar em várias linhas para buscar e levar os cerca de 1.100 estudantes dos turnos matutino e vespertino. Os veículos saem da garagem a partir das 5h30min da manhã.

Os trajetos são os seguintes: uma linha atuará nos setores Chácara Itapema, Mansões das Águas Quentes e Portal II. Outra linha fará o setor Terezinha Palmerston, Santa Efigênia e Centro. Outra atenderá aos setores Recanto de Caldas, Caminho do Lago, Holiday e Santa Efigênia. Nos próximos dias haverá também uma linha para a Vila Mutirão e adjacências.

Os estudantes são recolhidos nos pontos que já haviam sido estabelecidos pela antiga empresa e transportados até a entrada de cada uma das escolas. O percurso de volta também será realizado, com o término das aulas eles serão embarcados na unidades escolares e encaminhados aos bairros onde residem.

Os alunos do turno vespertino também serão atendidos pela rede de transporte coletivo da Secretaria de Educação. Os estudantes da rede matutina que atuam no sexto turno (depois das 12h50) serão atendidos pelos ônibus da rede vespertina, que circulam às 13 horas.

O Coordenador do Transporte Escolar do município de Caldas Novas, Crenildo Teixeira de Souza, ressaltou que todos os veículos usados no transporte passaram por revisão e que as linhas serão adequadas de acordo com a necessidade dos alunos.

Nota da prefeitura de Caldas Novas:

A Prefeitura de Caldas Novas, diante da negativa da empresa BT21 de continuar explorando a concessão pública do transporte coletivo no município, irá abrir novo processo licitatório conforme regulamenta a lei de licitações e concessões públicas, sob a análise criteriosa dos órgãos fiscalizadores do município e do Estado, da imprensa e da comunidade.

É importante ressaltar a alegação da empresa BT21 que, durante os quase dois anos de operação em Caldas Novas, não cobriu financeiramente nem 20% dos valores investidos na implantação do sistema, ao adquirir 20 ônibus, combustível, iniciar a construção de terminais, a contração de funcionários, edificação de pontos de passageiros e de escritórios de apoio.

O mesmo fato, a ausência substancial de passageiros, levou ao declínio do poder de concessão das empresas anteriores que exploraram o sistema de transporte coletivo em Caldas Novas, como cita-se a Alex Tur, depois dela a Viação Paraúna, a Enlace e agora a BT21.

Uma nova cultura, em detrimento ao transporte privado, feito por motos e carros, e que privilegie o uso de transporte coletivo, deve ser implantado em Caldas Novas e esta mudança de mentalidade é uma das metas da política de mobilidade urbana em curso pela Prefeitura de Caldas Novas. O objetivo dela é mobilizar e conscientizar empresários, sociedade classista e o morador ao utilizar as rotas de deslocamento do sistema público de transporte.

No que tange ao transporte imediato dos estudantes em idade escolar atendidos pela rede pública, o translado será mantido em veículos próprios, via departamento de Transporte Escolar da Secretaria de Educação, até que seja concluso os processos públicos de licitação e concessão, conforme determina os prazos da lei.

A Prefeitura de Caldas Novas coloca-se à disposição para qualquer esclarecimento adicional. (Com informações da TV Caldas)