Incêndio

Empresa de reciclagem que pegou fogo estava com alvará vencido, diz Corpo de Bombeiros

Delegado espera conclusão do trabalho da perícia para definir em qual crime poderá indiciar responsáveis pela EcoVR


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 31/05/2019 às 15:16:54

Foto: Corpo de Bombeiros
Foto: Corpo de Bombeiros

A Polícia Civil espera a conclusão do trabalho dos peritos do Instituto de Criminalística para definir em quais crimes pode indiciar os proprietários da EcoVR, empresa de reciclagens que pegou fogo na noite de quinta-feira (30), em Aparecida de Goiânia, deixando um funcionário morto e três feridos. Segundo o delegado Diogo Luiz Barreira, titular do 7º de Aparecida de Goiânia e que está investigando o caso, a empresa estava com o alvará do Corpo de Bombeiros vencido, o que, teoricamente, a impediria o funcionamento dela

Diogo Luiz Barreira passou a manhã na empresa, que fica no Setor Chácara São Pedro, acompanhando o trabalho dos peritos e também do Corpo de Bombeiros, que mantém equipes no local fazendo o trabalho de rescaldo, a fim de evitar o surgimento de novos focos de incêndio. Ainda pela manhã, o delegado soube que, apesar de ter uma licença ambiental para funcionar até 2022, concedida pela Secretaria do Meio Ambiente de Aparecida de Goiânia (Semmas), a EcoVR está com o alvará dos Bombeiros vencido.

“Nós precisamos aguardar o laudo pericial para definirmos quais os crimes cíveis ou criminais que porventura possam ter ocorrido aqui, se foi incêndio doloso, e até mesmo a morte do funcionário, que também pode ser enquadrada no homicídio culposo ou doloso”, relatou. A previsão é que o laudo com as causas do incêndio fique pronto em 10 dias, e, a partir daí, a Polícia Civil tem 30 dias para concluir o inquérito.

Também presente na empresa hoje pela manhã, o chefe de comunicação social do Corpo de Bombeiros, tenente coronel Fernando Caramaschi afirmou que a empresa funcionava de forma irregular. “Documentos mostram que, na última vistoria feita aqui, foram detectadas algumas irregularidades que precisavam ser sanadas, o que não deve ter ocorrido, já que o alvará continuava vencido”, pontuou.

Por meio de nota enviada à imprensa, a assessoria de imprensa da EcoVR garantiu que está dando todo suporte às vítimas e familiares, incluindo a internação nos hospitais e o atendimento de psicólogos, e ressaltou que colabora com o trabalho das autoridades na apuração do que teria motivado o incêndio. Em relação à empresa estar funcionando com o Alvará vencido, a nota diz ainda que o mesmo está em processo de renovação, com protocolo aberto em dezembro de 2018, e garantiu que vem cumprindo todas as exigências feitas após uma vistoria realizada pelos Bombeiros no último mês de fevereiro.

Confira a nota na íntegra:

A EcoVr lamenta profundamente o acidente ocorrido em suas dependências, na noite desta quinta-feira (30/05), e informa que está atuando em duas frentes prioritárias: o suporte às vítimas e aos seus familiares em todos os níveis (médico, psicológico e material), bem como o fornecimento de todas as informações necessárias às autoridades, para a elucidação das causas do incêndio.

É necessário esclarecer que a empresa conta com licença ambiental válida até 2022 e está em processo de renovação de seu alvará de funcionamento junto ao Corpo de Bombeiros, cumprindo a tramitação regular para a obtenção da referida certificação.

Antecipando-se ao prazo de vencimento de seu alvará de funcionamento, a EcoVR solicitou junto ao Corpo de Bombeiros a renovação da licença, e o protocolo para este procedimento foi aberto em dezembro de 2018.

Em fevereiro deste ano, a empresa recebeu uma vistoria do Corpo de Bombeiros e, no dia 25 do mesmo mês, foi notificada pela corporação sobre adequações que deveriam ser realizadas em suas instalações. Desde então, todas as exigências vêm sendo viabilizadas pela EcoVR e monitoradas por sua equipe de segurança do trabalho.

A transparência na prestação de informações às autoridades, aos seus colaboradores e à sociedade, demonstra que a empresa é a maior interessada no esclarecimento do fato, pois atua no mercado há seis anos, primando sua conduta pelo cumprimento das normas de segurança do trabalho individuais e coletivas, sem registros anteriores de episódios como o desta quinta-feira.

Tendo como missão a realização do trabalho de coleta de resíduos e reciclagem, em Aparecida de Goiânia, a empresa gera 20 postos de trabalho e visa colaborar para a sustentabilidade e a preservação ambiental.

Por fim, a EcoVR externa seus agradecimentos ao Corpo de Bombeiros, que atuou de forma ágil na contenção do incêndio, e sua confiança no trabalho dos peritos para a detecção da origem exata do acidente.