Mobilidade

Empresa de patinetes compartilhadas retiram veículos das ruas de Goiânia

Grow destacou que a medida faz parte "um processo de reestruturação da empresa presente em 7 países da América Latina e que já realizou mais de 20 milhões de corridas"

Cidades

Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 22/01/2020 às 19:21:25

Empresa de patinetes compartilhadas retiram veículos das ruas de Goiânia (Foto: Reprodução)
Empresa de patinetes compartilhadas retiram veículos das ruas de Goiânia (Foto: Reprodução)

A Grow, empresa responsável pelas patinetes compartilhadas, decidiu retirar os veículos das ruas de Goiânia e outras 13 cidades. De acordo com o comunicado da empresa, divulgado nesta quarta-feira (22), a decisão faz parte de “um processo de reestruturação da empresa presente em 7 países da América Latina e que já realizou mais de 20 milhões de corridas.”

O comunicado destaca que a “decisão foi tomada para que a companhia promova um ajuste operacional e continue prestando serviços de forma estável, eficiente e segura.” Além de Goiânia, as patinetes pararam de circular em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campinas (SP), Florianópolis (SC), Guarapari (ES), Porto Alegre (RS), Santos (SP), São Vicente (SP), São José dos Campos (SP), São José (SC), Torres (RS), Vitória (ES) e Vila Velha (ES). Os veículos que estavam nessas cidades serão transferidos para São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Curitiba (PR) – únicos municípios brasileiros que ficaram com os serviços da startup.

O serviço de bicicleta compartilhada foi suspenso, de forma temporária, em todo o país. Segundo a empresa, elas foram recolhidas das ruas e devem passar por uma processo de checagem. O intuito é saber se elas têm condições de operação e segurança. Ainda de acordo com o comunicado, a empresa busca parcerias públicos privadas “para fortalecer e expandir sua operação.”

A Grow, foi criada coma fusão das empresas de patinete, Grin, e de bicicletas, Yellow. Em Goiânia, os produtos ficaram dez meses em circulação e chegou sob muitas polêmicas em quesito de regulação e segurança. Em outubro do ano passado, representantes da empresa estiveram na capital e alegaram que as expectativas foram superadas. Além disso, chegou a ser anunciado a expansão do serviço em Goiânia. A empresa não informou o porquê da decisão da retirada do serviço da capital goiana.