Com acordo

Empresa de música sertaneja demite 140 funcionários devido ao coronavírus

NA Produções, que cuida da carreira de Naiara Azevedo e Gabriel Gava, pretende recontratar todos colaboradores após pandemia


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 08/04/2020 às 21:03:37

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A NA Produções Artísticas, empresa à frente da carreira de Naiara Azevedo, Gabriel Gava e outros artistas de música sertaneja, está demitindo todos os 140 funcionários em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Segundo Rafael Cabral, empresário e marido de Naiara, não há condições de pagar todos os colaboradores nos meses em que os artistas estão sem fazer shows.

Ao Mais Goiás, o empresário afirma que pensou em diferentes formas para sanar a situação da NA Produções, mas esta foi a melhor. “O começo do ano geralmente é ruim para a música sertaneja [em parte por causa do Carnaval] e ficou pior com o coronavírus”, disse. Goiás seguiu as recomendações da Organização Mundial de Saúde e proibiu, até segunda ordem, todos os eventos que podem gerar grandes aglomerações, como shows, por exemplo.

O acordo, explicou ele, está sendo feito individualmente. “Eu tenho funcionários com muitos anos de casa. Não há como pagar acerto para todo mundo”, sublinhou. “Quero retornar com toda a equipe assim que a pandemia acabar”, garantiu Rafael.

Com a demissão, os colaboradores têm direito a sacar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e de dar entrada no Seguro Desemprego. “Alguns funcionários podem retirar cinco meses de Seguro e têm R$ 20 mil de FGTS acumulado”, explica.

Atraso

Ao Mais Goiás, dois colaboradores – que não serão identificados – afirmaram que estão com o FGTS atrasado. Rafael Cabral confirmou que algumas pessoas da folha de pagamento têm débitos, mas que tudo será normalizado até semana que vem.

O empresário ressaltou que, no meio da música, cerca de 80% dos funcionários são contratados via “cachê” (recebendo por trabalho). “Todos na minha empresa são registrados e sempre honro com seus direitos”.

Crise do coronavírus

Segundo Rafael Cabral, 2019 não foi um bom ano. Mas as projeções para 2020 eram boas. Até a pandemia estourar, pelo menos. “Tenho um grande DVD, gravado no ano passado, que está parado, sem ter como divulgar”, afirmou.

“Eu não sou diferente de ninguém. Nessa situação somos todos iguais. Estou mostrando para todos que eles são importantes”, disse.