Torneio de robótica

Em torneio de robótica, estudantes apresentam soluções para problemas das cidades

Torneio é realizado pelo Sesi da Vila Canaã, em Goiânia; propostas de melhoria como locomoção para pessoas com deficiência, mobilidade urbana e transporte, são apresentados durante o torneio


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 19/12/2019 às 12:07:15

No torneio de robótica, os estudantes apresentam projetos baseados no tema
No torneio de robótica, os estudantes apresentam projetos baseados no tema "Cidades Inteligentes e Sustentáveis" (Foto: Reprodução / Alex Malheiros)

Cerca de 500 estudantes da rede pública e privada participam, na manhã desta quinta-feira (19), do Torneio Sesi de Robótica First Lego League, onde apresentam projetos para solucionar problemas dos centros urbanos. Esta é a sétima edição regional da competição, que está ocorrendo desde a manhã desta quarta-feira (18), na unidade Sesi da Vila Canaã, em Goiânia. A premiação ocorre ainda nesta quinta.

O tema desta edição é “Cidades Inteligentes e Sustentáveis“. Os projetos focam em problemas reais da vida urbana e apresentam propostas de melhoria, como locomoção para pessoas com deficiência, mobilidade urbana e transporte. Participam do evento alunos dos ensinos Fundamental e Médio, com idades entre 9 e 16 anos, dos estados de Goiás e Tocantins. 

Ao todo, 46 projetos serão apresentados aos juízes do torneio até o fim desta tarde. Dois deles foram apresentados ao prefeito de Goiânia, Íris Rezende (MDB), antes do início do evento e o gestor mostrou interesse de implementá-los. São eles: uma tampa de bueiro com durabilidade maior e custo menor; e um composto para dissolver a gordura do jamelão do asfalto.

Segundo a gerente de educação do Sesi Goiás, Quissinia Gomes de Freitas, os vencedores desta fase vão participar da etapa nacional do evento e, caso consigam também essa vitória, seguirão para o torneio internacional. 

“O tema do torneio é divulgado no mês de agosto e os alunos têm até o mês de dezembro para trabalhar os projetos de pesquisa que serão apresentados. Quatro pontos são avaliados pelos juízes: o projeto de pesquisa, a postura e atitudes dos alunos acerca do projeto, a avaliação do robô da lego, competição entre os participantes. Os projetos com melhor equilíbrio nas quatro etapas são eleitos para o nacional”, explica.

Para a coordenadora, o contato dos alunos com a experiência de pesquisa é primordial para o crescimento não só pedagógico como também pessoal dos estudantes. 

“Eles representam o nosso futuro, por isso é muito importante que nossos alunos de robótica consigam conciliar o desempenho do estudo com a participação no torneio. Essa experiência reflete muito no desempenho deles. A robótica estimula a participação do aluno e dá muita motivação para os estudos”, enfatiza.

(Foto: Reprodução / Alex Malheiros)

(Foto: Reprodução / Alex Malheiros)

Chiclete de pimenta

A equipe do Sesi Canaã trouxe a taça do torneio internacional de robótica para casa em julho deste ano. Na época, o projeto vencedor foi o chiliclete, um chiclete de pimenta feito para ajudar astronautas a sentirem o sabor dos alimentos. Os estudantes responsáveis pela criação da goma de mascar foram homenageados com certificado de reconhecimento da Agência Espacial Brasileira (AEB), em Brasília; a cerimônia ocorreu na sede da agência.

O “chiliclete” – em referência à receita picante chilli – foi uma inovação foi desenvolvida pelos alunos do curso de Robótica do Centro de Atividades “Mozart Soares Filho”, do Sesi Canaã, em Goiânia.

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira