Momentos de tensão

Em surto e com duas facas, mãe ameaça de morte filha de 9 meses em Aparecida

Policiais tentaram negociar rendição da mulher, que obstruiu casa com móveis para evitar ser surpreendida. Jovem foi desarmada e entregue aos bombeiros para ser medicada; avó materna ficou responsável pela criança, que não foi ferida


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 17/06/2019 às 10:43:55

Momento em que a equipe tenta negociar com a jovem mãe (Foto: Leitor / Mais Goiás)
Momento em que a equipe tenta negociar com a jovem mãe (Foto: Leitor / Mais Goiás)

Uma mulher de 20 anos teve um surto psicótico e ameaçou – aos gritos – tirar a vida da própria filha, uma bebê de 9 meses, na noite deste domingo (16), em Aparecida de Goiânia. Segundo informações da Polícia Militar (PM), Tainara Ferreira Lopes estava muito agitada e, mesmo após duas horas de negociação com a equipe policial, não cedeu e continuou fazendo a criança de refém. Caso ocorreu por volta de 20h, no bairro Chácara São Pedro.

Ainda conforme a corporação, a mulher portava duas facas e, a todo instante, as aproximava do pescoço da filha. Após esgotadas as possibilidades de rendição por parte da mãe, uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) iniciou procedimento tático para adentrar a residência.

Tainara, porém, havia arrastado vários objetos para impedir a entrada de pessoas no local. Na tentativa de obstruir os acessos ao quarto onde estava, bloqueou portas com geladeira, armários e até um sofá. Do cômodo onde fazia a criança de refém, a mulher gritava, segundo registros da PM, de forma desconexa ao passo em que jurava matar a filha, pois “preferia vê-la morta a perdê-la”. Os militares conseguiram adentrar o ambiente, desarmar a mulher e resgatar a bebê ilesa.

A mãe foi entregue à uma equipe do corpo de bombeiros, que a encaminhou para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para receber o devido atendimento médico. A bebê, muito assustada, foi deixada aos cuidados da avó materna. Não há detalhes sobre o que teria motivado o descontrole emocional ou sobre a referida possibilidade de perda da guarda da criança.