Manifestação

Em protesto, servidores da Saúde fecham a Praça Cívica

Manifestantes reivindicam o pagamento de 48% da data-base da categoria




Os servidores da saúde realizaram na tarde desta terça-feira (8) mais um prostesto na Praça Cívica, no Centro de Goiânia. Dessa vez, a reivindicação é em relação ao pagamento de 48% da data-base da categoria.

Há 50 dias de greve, os servidores da Saúde primeiro se reuniram na Assembleia Legislativa, onde realizaram assembleia e aprovaram a continuidade da paralisação. Depois eles desceram para a Praça Cívica e bloquearam o acesso do local por cerca de 40 minutos. Logo após, os manifestantes seguiram pela Avenida Goiás, Anhanguera e Tocantins, e terminaram o ato na Assembleia Legisltativa.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde do Estado de Goiás (Sindsaúde-GO), o governo estadual não paga a data-base dos servidores há seis anos e as perdas salariais já acumulam 48% da renda. De acordo com a presidenta do Sindasaúde, Flaviana Alves, 85% dos servidores da Saúde possuem algum tipo de empréstimo como método de complementação de renda. “A ampla maioria dos nossos trabalhadores estão endividados, resultado de um acúmulo de perda salarial que já ultrapassa mil reais mensais. Eles não aguentam mais verem seus salários serem diminuídos mês a mês”, comentou.