#éboato

Em nota, PF em Goiânia nega informações sobre áudio que circula no Whatsapp

Na gravação, uma mulher afirma que a PF teria se reunido com um grupo de pais de alunos, vítimas em potencial de grupo criminoso internacional atuante no crime de pedofilia





//

A Superintendência Regional da Polícia Federal em Goiânia divulgou na manhã desta segunda-feira (16), uma nota sobre a circulação de um áudio no aplicativo Whatsapp.

Nos últimos dias circulou massivamente o áudio em que uma mulher relata uma reunião entre uma equipe da Polícia Federal e pais de uma escola na capital.

No áudio, a suposta reunião seria para alertar os pais de que seus filhos seriam supostamente vítimas em potencial de um grupo criminoso internacional atuante no crime de pedofilia.

“As ações desenvolvidas pela PF causam grande interesse junto aos veículos de comunicação, repercutindo as informações de forma imediata no meio social. Assim, a Polícia Federal informa que, justamente por isso, as informações trazidas no referido áudio não retratam fato acontecido nas dependências da Superintendência Regional da PF em Goiânia, não fazendo parte da forma oficial de conduta na transmissão de informações, ainda que seja para alertar a sociedade do acontecimento de crimes”, diz a nota.

Na nota, a PF informa ainda que esse tipo de crime de pedofilia exigir sempre atenção redobrada dos pais e responsáveis, principalmente quanto às informações e conteúdos pessoais de seus filhos publicados em redes e perfis sociais.

No áudio a mulher relata ainda que, uma cunhada dela teria sido convidada pela PF para uma reunião. Segundo o áudio, que a PF salienta que é falso, 12 crianças estariam entre as escolhidas de um grupo de sequestradores.

Tópicos