Série B

Em jogo de muitos gols, Atlético cai para o Figueirense

Rubronegro goiano leva três gols em 10 minutos no primeiro tempo, reage, mas não consegue impedir a vitória catarinense


Raphaela Ferro
Do Mais Goiás | Em: 09/06/2018 às 21:03:55


Os sete gols marcados não representam o futebol limitado que Atlético e Figueirense apresentaram neste sábado (9), no Estádio Olímpico, pela 10ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Mas rendeu os três pontos e uma vaga no grupo dos que se classificam para a Série A, o G4, para a equipe catarinense, que venceu por 4 a 3 após ter feito três gols em 10 minutos. O Dragão ameaçou reagir, uma vez em cada etapa, mas cedeu o resultado.

Em um primeiro tempo bem atípico, com muitos gols apesar da pouca qualidade técnica das equipes, o Dragão esteve perto de fazer o primeiro gol ainda no primeiro minuto, mas Renato Kayzer, sem marcação dentro da área, chutou a bola em cima do goleiro e desperdiçou. Faria falta depois. O Atlético parecia mais ofensivo, mas sofreu um apagão. Com pouca ação até ali, o Figueirense teve pouca dificuldade de balançar as redes na sequência.

A equipe visitante marcou o primeiro com Zé Antônio aos 15 minutos, logo depois, aos 19, Renan Mota fez o segundo e, passado mais um pouco, aos 25, Ferrareis ampliou para 3 a 0. O torcedor rubronegro reclamou, desacreditou de seu time, mas pôde ver uma reação ainda na etapa inicial. Júnior Brandão diminuiu, aos 39, após cobrança de escanteio. Já parecia bom para o atleticano, mas a vantagem adversária se tornaria ainda menor.

Aos 43, em jogada infantil, o goleiro Denis empurrou Fernandes dentro de sua área. O juiz marcou pênalti e João Paulo converteu. Em outra trapalhada do mesmo arqueiro, Júnior Brandão recebeu a bola nos pés, caída das mãos de Denis, e teve boa chance de chegar ao empate. Não conseguiu. O primeiro tempo foi encerrado ainda com Atlético 2 x 3 Figueirense. A postura dos jogadores atleticanos no início do segundo tempo seria outra.

Um cuidado maior com a defesa foi perceptível, assim como a estratégia de impor velocidade. Assim, o Dragão até viu a bola encostar na rede, aos 13 minutos, mas o gol foi invalidado pela arbitragem. Pouco depois, o esforço atleticano se desfez. João Paulo, o do Figueirense, acertou um chute à distância e voltou a ampliar a vantagem catarinense: 4 a 2. O visitante se fechou em seu campo, atrás da linha do meio de campo, e contou com pelo menos um bom momento de Denis, em duas defesas no mesmo lance, aos 25 minutos. Já perto do apito final, aos 45, o criticado Tomas Bastos marcou o terceiro gol atleticano. Foi pouco. O Atlético saiu de campo com a derrota.

 

ATLÉTICO 3 X 4 FIGUEIRENSE

ATLÉTICO: Léo; Alisson, Lucas Rocha, René Santos e Mascarenhas; Rômulo (Tomas Bastos), Fernandes e João Paulo; Júlio César (Joanderson), Júnior Brandão e Renato Kayzer (André Luís). Técnico: Cláudio Tencati.

FIGUEIRENSE: Denis; Diego Renan, Nogueira (Eduardo Bauermann), Cleberson e Guilherme Lazaroni; Zé Antônio, Matheus Sales (Pereira), João Paulo e Renan Mota; Gustavo Ferrareis e Henan. Técnico: Milton Cruz.

Local: Estádio Olímpico. Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP). Assistente: Miguel Caetano Ribeiro da Costa e Luiz Alberto Andrini Nogueira (ambos de SP). Gols: Zé Antônio, aos 15, Renan Mota, aos 19, Ferrareis, aos 25, Júnior Brandão, aos 39, e João Paulo, aos 45 minutos do 1º tempo. João Paulo, aos 19, e Tomas Bastos, aos 45 minutos do 2º tempo.