Cidades

Em Goiás, 40 municípios aderem greve nacional contra previdência e cortes na Educação

Trabalhadores ainda protestam contra violência nas escolas e por uma Educação pública, gratuita, laica e de qualidade. Em Goiânia, ato unificado reunirá manifestantes na Praça Universitária


Kayque Juliano

Do Mais Goiás | Em: 15/05/2019 às 13:31:42


Concentração durante a manhã no Campus 2 da UFG(Foto: SINT-IFESgo)
Concentração durante a manhã no Campus 2 da UFG(Foto: SINT-IFESgo)

Em dia de greve nacional, trabalhadores da Educação protestam contra a reforma da Previdência, Projeto Escola Sem Partido e redução das verbas para Educação. Em Goiás, atos ocorrem simultaneamente em 40 cidades e, na capital, um ato unificado concentrará os manifestantes às 15h na Praça Universitária, para debater e panfletar sobre e contra as referidas pautas.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), Bia de Lima, a reforma da previdência é um ataque contra a classe trabalhadora brasileira. “Não combate privilégios e apenas dificulta o acesso à aposentadoria, além de reduzir o valor do benefício previdenciário no momento mais delicado da vida de um trabalhador”, explica.

Em relação à redução de verbas para a Educação, Bia de Lima acredita que a ação tem profundo impacto na Educação do país, sendo que, com o contingenciamento, grande parte das instituições Federais não conseguirão sequer finalizar o ano letivo. O projeto Escola Sem Partido é outra bandeira rejeitada pelos educadores.

(Foto: divulgação/Sintego)

Para Bia, qualquer ação que visa coibir a manifestação de ideias em sala de aula é inconstitucional. “Este projeto ainda coloca os professores em estado constante de vigilância, o que fere a liberdade de ensinar”.

Neste dia, o ato dos trabalhadores em Educação pretende colocar em evidência os casos de violência nas escolas. Segundo o Sintego, o Brasil lidera o ranking de violência contra o professor. O caso mais recente ocorreu no último 30 de abril, quando o coordenador Júlio César Barroso, do Colégio Estadual Céu Azul, em Valparaíso, foi assassinado por um estudante.

 

Goiânia

Pela manhã, uma prévia do que ocorrerá à tarde tomou forma no Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (Cepae), no Campus 2 da Universidade Federal de Goiás (UFG). Lá os trabalhadores discutiram os bloqueios financeiros realizados pelo governo federal e a reforma da previdência.

Segundo o presidente do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg), Flávio Silva, mil pessoas participaram das atividades matutinas, que incluíram uma caminhada até a reitoria da instituição.

Esses profissionais se juntarão a sindicatos, centrais sindicais e entidades estudantis, às 15h, na Praça Universitária para um ato unificado. De lá, os protestantes deverão caminhar até a Praça Cívica, onde voluntários deverão fazer uso de megafone e carro de som em frente ao Palácio Pedro Ludovico.

Interior

Ao todo, 40 municípios goianos participam da greve nacional. Em Catalão, por exemplo, os manifestantes deram as mãos no ato simbólico de “abraçar” a unidade local do  IFgoiano.

Em Iporá, região oeste de Goiás, três cidades que fazem parte da regional do município participam da manifestação que começou às 8 horas da manhã. Doverlândia, Caiapônia e Iporá estão convidando moradores para assinar um baixo assinado que será encaminhado para o presidente da câmara, Rodrigo Maia, contra a reforma da Previdência e contra os cortes na educação.

De acordo com a presidente do Sintego regional de Iporá, Elisabete Maria Rocha Silva, mais de mil assinatura já foram colhidas. Às 18 horas, um ato unificado entre servidores da Universidade Estadual de Goiás, do município e do estado, além de administrativos do IFgoiano, vão distribuir materiais informativos.

Em Itumbiara, no sul goiano, mais os organizadores da manifestação contabilizaram três mil manifestantes. A concentração começou às 8 horas na Praça São Sebastião e, em seguida, alunos e profissionais da educação percorreram as principais ruas da cidade. “A todo momento nós informávamos a população sobre o problema da reforma da Previdência e dos cortes na educação.”, relata a presidente do Sintego, regional de Itumbiara, Dulcineia Pereira Silva.

Confira a lista das cidades participantes, bem como respectivos horários e locais de concentração: 

1) Alto Horizonte (a 333 km de Goiânia) – 13h, na Praça da Matriz;

2) Anápolis (a 50 km) – 8h, Praça do Ancião;

3) Aragarças (a 381 km) – 8h, no Posto Fiscal (Avenida Ministro João Alberto);

4) Caldas Novas (a 169 km) – 16h, na Praça Mestre Orlando;

5) Catalão (a 261 km de Goiânia) – 8h – Concentração na UFG – Estacionamento Lamartine;

6) Ceres e Rialma (a 179 km) – 9h – Carreata nas duas cidades, que são separadas pela ponte sobre o Rio das Almas;

7) Cidade de Goiás (a 129 km) – 8h concentração IFG | 16h Concentração em frente Teatro São Joaquim;

8) Formosa (a 280 km da capital) – 10h, Concentração na Praça Anísio Lobo;

9) Goianésia (a 178 km) – 7h – Praça Nossa Senhora D’Abadia;

10) Goiânia, com a participação dos municípios de Aparecida de Goiânia, Campos Belos, Inhumas e Planaltina – Praça Universitária, 15 horas;

11) Goiatuba (a 177 km) – 9h – Praça das Bandeiras;

12) Indiara (a 99 km) – 9h, Praça Central;

13) Ipameri e Pires do Rio (distantes, respectivamente, 199 e 147 km de Goiânia) – 8h: Ato em frente à Matriz (escola municipais e estaduais, IF de Urutaí, assentamento Olga Bernardo).

14) Iporá (a 226 km) – 8h – Coleta de assinaturas contra a Reforma da Previdência; 18h – Ato unificado no lago Por do Sol;

15) Itaberaí (a 100 km) – Juntamente com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itaguaru e representantes de estudantes, farão um abaixo assinado para mandar para os deputados através da Câmara de Vereadores;

16) Itapuranga (162 km) – 8h -Caminhada (concentração no Colégio Cora Coralina; até a Praça Castelo Branco;

17) Itumbiara (a 209 km de Goiânia) – 08h30 – Praça São Sebastião, com passeata pelas principais ruas da cidade;

18) Jataí (a 320 km) – 9h: Ato em defesa da Educação (Praça Tenente Diomar Menezes) | – 14h: Oficina Cultural em defesa da Educação Pública, na quadra do Bairro Estrela Dalva | – 19h: Assembleia unificada UFG/IFG, na feira coberta;

19) Jussara (225 km): manhã e a tarde, caminhada pelas principais ruas da cidade;

20) Leopoldo de Bulhões (64 km): coleta de assinatura de abaixo assinado contra a Reforma da Previdência;

21) Luziânia (212km) – 9h em frente à Igreja Matriz;

22) Mara Rosa (348 km) – 15h, Praça do Coreto;

23) Minaçu (504 km) – 17h30, ato em parceria com a Prefeitura;

24) Mineiros (425 km) – 08h, Praça da Bauhaus;

25) Morrinhos (132 km)– 19h30, na UEG;

26) Nerópolis (37 km)– 7h30, parada no semáforo do Correio, com caminhada para a praça Central;

27) Niquelândia (312 km) – 9h, Praça do Tucunaré;

28) Nova Glória (197 km) – 17h, na Prefeitura Municipal;

29) Novo Planalto (461 km)– 8h, em frente à Escola José Dias Mota;

30) Orizona (138 km) – 9h, na Praça do Lazer;

31) Piracanjuba (87 km) – 13h30: Feira de Produtores Rurais (Galpão Antônio Jorge Dias – localizado na Rua Expedicionário José Elias Rezende, esquina com a Rua Cônego Olinto, Setor Central);

32) Porangatu (409 km): 15h, carreata e roda de conversa na praça;

33) Posse (514 km) – 10h: Praça Matriz Sant’Ana;

34) Quirinópolis (288 km) – 19h30: em frente à faculdade UEG (conjunto Hélio Leão)

35) Rio Verde (231 km): 8h – no Sintego de Rio Verde;

36) São Luiz dos Montes Belos (127 km) – 8h – Carreata pelas principais ruas – 17h: Ato unificado com os estudantes da UEG;

37) São Miguel do Araguaia (475 km) – 16h, Canteiro Central;

38) Silvânia (87 km): coleta de assinatura para o abaixo assinado contra a Reforma da Previdência;

39) Trindade (26 km)- 8h debate sobre a Reforma da Previdência na sede da Regional do Sintego de Trindade. -9h30, manifestação no Centro da cidade

40) Uruaçu (a 280 km de Goiânia): 17h, Avenida Tocantins em frente ao Banco do Brasil.