Ton Paulo
Do Mais Goiás

Em Goiânia, 40 mil podem ser barrados nos ônibus no horário de pico

Prazo para apresentar documentação para o embarque prioritário vai até às 20h do dia 5/4

Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás

Quase 45 mil usuários do transporte coletivo de Goiânia e Região Metropolitana poderão ter o acesso negado aos ônibus e terminais nos horários de pico, a partir da próxima terça-feira, dia 6 de abril. A restrição de acesso deverá ocorrer após o fim do prazo que a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) concedeu aos passageiros, dia 5, às 20h, que se cadastraram no embarque prioritário apresentem documento que comprove a ligação deles com atividades essenciais.

Conforme informou a Redemob, mais de 102 mil pessoas se cadastraram no sistema de embarque prioritário até agora. No entanto, dessas, 44.871 ainda não apresentaram documento que comprove que elas possuem vínculo com atividades e setores essenciais e, portanto, a partir de terça-feira, poderão ser impedidas de embarcar no transporte coletivo nos horários de pico: das 6 às 7h30 e das 16h45 às 18h15.

A Redemob destaca que cadastros feitos apenas com justificativas não servirão para liberar o acesso do passageiro nos horários de pico.

Fluxo reduzido

Mesmo com a reabertura do comércio em Goiânia nesta semana, o fluxo de passageiros no transporte coletivo se manteve baixo, segundo a RMTC. O consórcio informou que a demanda no último dia 31 de março, quarta-feira, apresentou uma redução de flixo de 29,6%, em comparação com a quarta-feira anterior.

Ainda de acordo com a RMTC, comparando com o dia 24 de fevereiro, o fluxo de ontem na faixa das 6 horas da manhã teve redução de 55%. Na faixa das 17 horas, 53%.

No entanto, comparando a demanda de ontem, 31, com o dia 17 de março, após o lockdown estadual e municipal, a demanda aumentou 4,5%, conforme a RMTC.