Do Mais Goiás

Em 2017, cerca de 500 mil buracos foram tapados em Goiânia, diz Seinfra

A secretaria informou que a recuperação do asfalto foi feita em cinco bairros e outras onze vias da capital

Em 2017, cerca de 500 mil buracos foram tapados em ruas de Goiânia. As informações são da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra) que informou também que cinco grandes bairros da capital passaram pela recuperação asfáltica: Parque Tremendão, Jardim Mariliza, Balneário Meia Ponte, Residencial Itaipu e Morada do Sol. Além destas, outras onze vias localizadas em sete setores diferentes receberam as obras.

No ano passado, segundo a secretaria, foram aplicadas cerca de 47 mil toneladas de massa asfáltica, em todas as ações de recapeamento, revitalização e na Operação Tapa Buraco. O Diretor de Operações e Conservação da Secretaria Municipal Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), Márcio José Corrêa, explicou que, pela dificuldade de atender todos os bairros da cidade, foi feito um dimensionamento elencando as ruas principais e depois as transversais, para ordenar as ações.

Márcio estima que 25 quilômetros de asfalto tenham sido recuperados durante todo o ano de 2017. Para realizar as obras ao longo desta extensão, foram investidos, segundo a Seinfra, R$ 6,6 milhões. Para 2018, a secretaria aguarda a liberação de um empréstimo internacional para asfaltar todas as ruas habitadas da capital.

Além disso, segundo Márcio, os recursos para a construção da usina de asfalto da Seinfra foram liberados e o processo está em fase de licitação. “Para asfaltar ruas e realizar a recuperação do asfalto, a secretaria compra os materiais utilizados. A ideia de construir a usina é para que a gente tenha esses produtos à nossa disposição, o que possibilitaria o trabalho em dois turnos, ao contrário do que é feito hoje”, explica.

O diretor conta que, atualmente, por depender de empresas fornecedoras de asfalto, a Seinfra inicia suas ações diárias no meio da manhã. Com a própria usina, as obras poderiam ser feitas em dois turnos, além de horários alternativos, como na madrugada. Márcio pontua também que ainda não há números que mostrem a vantagem econômica da aquisição, mas que os benefícios existem.