Operação Decantação

“Eles estão atrás é do Ronaldo Caiado”, afirma Luiz Carlos do Carmo

Para o suplente do senador goiano, vazamento de gravações da Operação Decantação tem motivação política




Em entrevista ao Mais Goiás, o ex-deputado estadual e atual suplente do senador Ronaldo Caiado (DEM), o peemedebista Luiz Carlos do Carmo negou qualquer envolvimento no susposto esquema de desvio de dinheiro da Saneago.

Nesta sexta-feira (26), foram divulgadas gravações que citam o nome do parlamentar em conversa que revela tráfico de influência na estatal. No áudio, o diretor de Produção da Saneago, Mauro Henrique Barbosa, liga para o diretor de Gestão Corporativa, Robson Borges Salazar, e pede, em nome de Luiz Carlos do Carmo, que Robson fure a fila de pagamentos para beneficiar uma empresa ligada ao peemedebista: a Transuan.

Segundo Luiz Carlos do Carmo, a Transuan é uma empresa de construção civil do irmão dele e ele nunca se envolveu com os negócios da família. “O meu irmão, ele tem um caminhãozinho que entrega cascalho. Mas eu nunca pedi [pagamentos] para ele e ele nunca pediu isso para mim.”

Luiz Carlos confirmou que conhece Mauro Henriqeu Barbosa há muitos anos, mas disse que nunca falou com ele por telefone. O peemdebista ainda anunciou que renuncia o mandato caso a Polícia Federal encontre algum ilícito de sua parte . “Se tiver minha voz pedindo para alguém da Saneago para pagar alguma coisa eu renuncio o meu mandato na suplência do senador Ronaldo Caiado agora”, garantiu.

O suplente ainda argumentou que o vazamento das gravações tem motivação política: enfraquecer o senador Ronaldo Caiado. “Eles estão atrás é do Ronaldo Caiado, não é de mim não. Tudo é Ronaldo Caiado. Eu nem era deputado na época da gravação. Homem sem mandato não manda nada”, brincou.