Saúde

É grave estado de saúde das gêmeas siamesas separadas no HMI

De acordo com a unidade de saúde, as crianças estão internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica do hospital e respiram com a ajuda de aparelhos. Não há previsão de alta.





//

Permanece grave, porém estável, o estado de saúde das gêmeas Maria Clara e Maria Eduarda Oliveira Santana, de quatro meses, que passaram por cirurgia de separação na manhã desta quarta-feira (09/09) no Hospital Materno Infantil (HMI).

De acordo com a unidade de saúde, as crianças estão internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica do hospital e respiram com a ajuda de aparelhos. Não há previsão de alta.

Após quatro meses de preparação e seis horas no Centro Cirúrgico, a separação das meninas que nasceram em Salvador (BA) unidas pelo abdômen foi realizada com sucesso. De acordo com a equipe médica, o procedimento aconteceu conforme o planejado e sem nenhuma complicação.

Cerca de 15 profissionais participaram da cirurgia liderada pelo cirurgião pediátrico Zacharias Calil. Durante a operação, o médico percebeu que além de dividirem o fígado, as gêmeas também dividiam uma membrana do coração, que também passou pelo procedimento. Esta é a 14ª separação de gêmeos siameses realizada no HMI.