Setor Capuava

Dupla que filmou execução e postou nas redes sociais é presa em Goiânia

Tiago Souza e Wellington Peres foram contratados por um homem que acreditava ter sido a vítima o responsável pelo assassinato de seu irmão; caso é investigado pela DIH


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 02/08/2019 às 11:59:49

Tiago e Wellington foram presos e responderão por homicídio (Foto: Divulgação / PC)
Tiago e Wellington foram presos e responderão por homicídio (Foto: Divulgação / PC)

Dois homens foram presos, na última quinta-feira (1º), suspeitos de matar um homem a tiros, filmar a execução e publicar nas redes sociais. O crime foi em 29 de dezembro de 2018. A vítima é Sullivan Rodrigues Lima, de 30 anos. Ele foi atingido por pelo menos seis tiros enquanto estava na calçada de uma casa da Alameda Moções, no Setor Capuava, Região Oeste de Goiânia.

Segundo a Polícia Civil (PC), Tiago Souza Cardoso é o suspeito do assassinato. Ele teria usado uma pistola 9 milímetros para matar Sullivan. E ainda teria filmado o crime com o celular e publicado nas redes sociais. Durante a investigação, também foi identificado o suspeito de ser comparsa de Tiago, Wellington Peres. Ele responderá por participação no homicídio.

Tiago teria cometido o crime a mando de Douglas Nunes da Silva. Ele alegaria que Sullivan foi quem matou o irmão dele, Marcelo. Douglas, porém, faleceu em 27 de março deste ano. À polícia, Tiago confessou o crime e que a cena para provar ao mandante que de fato havia cumprido o combinado.

O caso é investigado pela delegada Myrian Vidal, da Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH) de Goiânia. O Mais Goiás tentou contato com a DIH, às 11h50 da manhã desta sexta-feira (2), mas as ligações não foram atendidas.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Polícia Civil busca suspeito de matar, filmar e compartilhar crime, em Goiânia . A Polícia Civil busca quem seja o autor do assassinato de Sullivan Rodrigues de Lima, de 30 anos. O homem foi executado com pelo menos seis tiros, na calçada de uma casa da Alameda Moções, no Setor Capuava, Região Oeste de Goiânia. O crime chama atenção porque o assassino gravou em um celular enquanto matou o homem, e depois compartilhou por mensagens; a morte foi registrada no sábado (29). A cena, que já circula em grupos de WhatsApp, será periciada. . Sem entrar em detalhes, um investigador da Delegacia de Investigação em Homicídios (DIH), responsável pela apuração do caso, disse que o caso já está em levantamento. Ele conta que os investigadores receberam informações da família da vítima que ele seria usuário de drogas. Há a suspeita de que o crime tenha sido encomendado de dentro de algum presídio do Estado, e que o vídeo seja para prestar contas com quem encomendou o crime. . Sullivan Rodrigues estaria, segundo testemunhas informaram à Polícia Militar, ingerindo bebida alcoólica próximo a um ginásio, no final da alameda onde foi morto. Ainda será investigado se de fato aconteceu uma discussão entre a vítima e outras pessoas, que teriam o seguido assim que ele deixou o local. Uma testemunha informou que o executor estava em uma motocicleta quando abordou a vítima.

Uma publicação compartilhada por Mais Goiás (@maisgoias) em

Relembre o caso

À época, os investigadores receberam informações da família da vítima de que ele seria usuário de drogas. Há a suspeita de que o crime tenha sido encomendado de dentro de algum presídio do Estado, e que o vídeo seja para prestar contas com quem encomendou o crime.

Segundo testemunhas informaram à Polícia Militar, Sullivan estaria bebendo próximo a um ginásio, na alameda onde foi morto. Ainda será investigado se de fato aconteceu uma discussão entre a vítima e outras pessoas, que teriam o seguido assim que ele deixou o local. Uma testemunha informou que Thiago estava em uma motocicleta quando abordou a Sullivan.

Sullivan Rodrigues de Lima, de 30 anos, morto a tiros no Capuava: Polícia Civil busca suspeito de matar, filmar e compartilhar execução (FOTO: Reprodução)

Sullivan Rodrigues de Lima, de 30 anos, morto a tiros no Capuava (FOTO: Reprodução)

*Thaynara Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira