Doria anuncia R$ 55 para alunos durante suspensão das aulas

Auxílio será dado a crianças pobres enquanto as aulas permanecem suspensas


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 25/03/2020 às 15:41:48

João Dória (Foto: Leo Franco/AgNews)
João Dória (Foto: Leo Franco/AgNews)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quarta-feira (25) que fará pagamento de R$ 55 às famílias de alunos da rede estadual.

O auxílio será dado a crianças pobres, enquanto as aulas permanecem suspensas. O nome do programa é Merenda em Casa, e se trata a uma contrapartida ao fato de as crianças não terem a refeição na escola.

Os estudantes beneficiados serão aqueles cujas famílias recebem o Bolsa Família, bem como aqueles que vivem em condição de extrema pobreza, de acordo com o Cadastro Único do Governo Federal.

A medida valerá para cerca de 700 mil alunos. “O valor é suficiente para comprar uma cesta básica”, disse Doria. Segundo Doria, a medida custará R$ 40,5 milhões por mês.

O governador também anunciou vacina da gripe aos policiais, que começa a partir de 30 de março. A medida valerá para Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Científica e funcionários do sistema prisional.

Presente ao evento, o prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou que o hospital da Brasilândia teve as obras adiantadas e também receberá leitos para pacientes de coronavírus.

O tucano afirmou que às 16h os 27 governadores se reunirão “dada a gravidade das circunstâncias do país e do comportamento do presidente da república”.

A crise do coronavírus deflagrou uma guerra entre Doria e Bolsonaro, que já se estranhavam desde 2019, após o tucano se eleger na coleta do ex-militar.

O governador fez evento após de participar de vídeo conferência tensa com o presidente Jair Bolsonaro.

Na ocasião, Bolsonaro disse que o tucano não tem autoridade para criticá-lo após ter sido eleito em 2018 com sua ajuda e, depois, de ter lhe virado as costas. Já o Doria cobrou “serenidade, calma e equilíbrio”, e ameaçou ir à Justiça se o governo federal confiscar respiradores mecânicos para doentes graves com Covid-19.

“Não é uma gripezinha, um resfriadozinho, é um assunto grave. Temos 46 vítimas e não entramos nem no pico”, disse Doria na coletiva.

Doria afirmou durante a coletiva que não é uma decisão dele se é necessário impeachment do ex-militar.

“Essa é uma decisão do Congresso Nacional. Não é uma decisão de governadores nem minha”, disse, ao ser questionado pela Folha.

O tucano afirmou ainda que tudo indica que Bolsonaro está atrapalhando o combate ao coronavírus. “De acordo com pesquisas do Instituto Datafolha, tudo indica que sim”.

Durante a coletiva, Doria afirmou que a fala do presidente na terça (24) foi desastrosa. “Lamento que ele prefira escutar o gabinete do ódio do que o gabinete do bom senso”, disse Doria.

O tucano se dirigiu a Bolsonaro durante mais de uma vez: “São seres humanos, presidente Jair Bolsonaro. Certamente, se o senhor não tem, deve ter tido avós e pessoas com mais idade. Eu respeito as pessoas com mais de 60 anos, e peço que o senhor respeite, que as pessoas mais vulneráveis”.

O tucano também pediu para Bolsonaro respeitar as pessoas com mais de 60 anos, as principais vítimas do coronavírus.

Tópicos