ORIGEM ILÍCITA

Donos de supermercados são presos em Goiânia por receptação de carga roubada

Nos estabelecimentos dos dois suspeitos, agentes da Decar e da PRF recuperaram uma tonelada de óleo de soja que havia sido tomado por assaltantes no Entorno do Distrito Federal


Aulus Rincon
Do Mais Goiás | Em: 03/04/2020 às 13:22:10

Dois donos de supermercados em Goiânia, um de 47 anos, e outro de 51 anos, foram presos nesta sexta-feira (3) acusados de receptação de cargas roubadas. (Foto: divulgação/PC)
Dois donos de supermercados em Goiânia, um de 47 anos, e outro de 51 anos, foram presos nesta sexta-feira (3) acusados de receptação de cargas roubadas. (Foto: divulgação/PC)

Dois donos de supermercados em Goiânia, um de 47 anos e outro de 51 anos, foram presos nesta sexta-feira (3) acusados de receptação de cargas roubadas. Nos estabelecimentos deles, agentes da Delegacia Estadual de Combate a Roubos e Furtos de Cargas (Decar), e policiais rodoviários federais, recuperaram caixas de óleo de soja que haviam sido roubadas na semana passada no Entorno do Distrito Federal.

A polícia chegou até os supermercados depois de prender, no início desta semana, três homens que estariam intermediando a venda de cargas roubadas em Goiás. Além da receptação, os donos dos dois estabelecimentos, que – segundo o delegado Alexandre Bruno, titular da Decar – já haviam sido presos anteriormente pelo mesmo crime, foram autuados também por sonegação fiscal.

“Trata-se de mais uma operação conjunta, que, desta vez, ainda teve o apoio de auditores da Secretaria da Economia, que contataram sonegação fiscal, o que acabou fazendo com que, além da prisão, estes proprietários também fossem obrigados a fechar seus comércios”, destacou o delegado.

Outros donos de supermercados de Goiânia, ainda segundo Alexandre Bruno, também estão sendo investigados por receptação, e devem ser presos nos próximos dias. Avaliada em R$ 300 mil, a carga apreendida nos dois estabelecimentos nesta sexta-feira tinha sido roubada no último dia 23 de março, perto de Brasília, no momento em que estava sendo levada para a Venezuela.

(Foto: Divulgação/PC)