Laylla Alves
Do Mais Goiás

Dono de flutuante é indiciado pela morte de eletrocutado no Lago Corumbá IV

Proprietário responderá por homicídio culposo e por fraude processual, em razão de ter tentado alterar a cena do crime para induzir perícia a erro

Polícia Civil concluiu, nesta segunda-feira (15), a investigação sobre a morte de morte de João Paulo Vieira Azedo Sandre, de 27 anos e, indiciou o dono da residência e do flutuante por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e por fraude processual
Dono do flutuante é indiciado pela morte de jovem que recebeu descarga elétrica no lago Corumbá IV (Dono do flutuante é indiciado pela morte de jovem que recebeu descarga elétrica no lago Corumbá IV (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Após mais de um mês, a Polícia Civil concluiu, nesta segunda-feira (15), a investigação sobre a morte de João Paulo Vieira Azedo Sandre, de 27 anos. O rapaz foi eletrocutado após encostar em uma estrutura flutuante que estava em contato com um fio desencapado. O caso aconteceu no dia 2 de janeiro, município de Abadiânia. Proprietário do local foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intensão de matar.

De acordo com as investigações, investigado foi negligente ao realizar uma ligação elétrica proibida para levar energia da residência para a embarcação, conexão que teria provocado o óbito de João.

Rapaz estava em estrutura flutuante quando teria encostado em fio desencapado oriundo de ligação elétrica ilegal (Foto: divulgação/PC)

Rapaz estava em estrutura flutuante quando teria encostado em fio desencapado oriundo de ligação elétrica ilegal (Foto: divulgação/PC)

A delegada Isabella Joy Lima e Silva indiciou o proprietário também por fraude processual. “Verificamos que ele inovou artificiosamente o local do crime para induzir a perícia a erro”.

Os autos do inquérito policial foram remetidos ao Poder Judiciário para as demais providências.

João Paulo morava em Anápolis e deixou uma esposa e duas filhas pequenas.