Dois suspeitos de participarem da morte do jovem Gabriel Caldeira são liberados pela Justiça

Os irmãos Bruno Stival e Arthur Stival respondem pelo crime junto a Murillo Eduardo Conceição dos Santos, que teve a prisão temporária convertida em preventiva




 Foram soltos nesta quarta-feira (4/5) dois dos suspeitos de assassinarem o estudante de administração Gabriel Caldeira de Souza, de 19 anos, em frente ao bar Tabu, no Setor Marista, no dia 3 de abril deste ano. Os irmãos Bruno Stival e Arthur Stival responderão pelo crime em liberdade. Já o outro suspeito, Murillo Eduardo Conceição dos Santos, teve sua prisão temporária convertida em preventiva.

As novas situações dos suspeitos são consequência de despacho assinado pelo juiz Antonio Fernandes de Oliveira. Pela decisão, Bruno e Arthur deverão comparecer em juízo a cada 30 dias, entre os dias 1 e 10 de cada mês, para informar o endereço de residência e suas atividades laborais. Ambos estão proibidos de deixar o município sem autorização judicial.

A mudança no regime de prisão de Murillo, por sua vez, foi justificada como sendo “de interesse público”. Além do assassinato, ele responde também por posse ilegal de arma. Teria sido Murillo quem disparou contra Gabriel.

O crime

Os três suspeitos foram presos no dia 6 de abril, pouco mais de 48 horas após o crime. Segundo um amigo da vítima — que não quis se identificar –, presente no momento do assassinato, Gabriel estava com uma turma de amigos da faculdade saindo de um bar no Setor Marista, em Goiânia, quando passou um Corolla com quatro pessoas dentro. “Eles passaram encarando todo mundo. Passou por ele bem devagar, ele perguntou ‘o que que foi?’. O cara tirou o revólver e deu três tiros. Um pegou nele na bacia, na virilha”, conta.

O Samu foi acionado e uma ambulância chegou em 20 minutos. No entanto, o estudante já havia perdido muito sangue e chegou ao hospital convulsionando. Ele foi encaminhado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu aos ferimentos e faleceu na manhã de segunda (4).

Após colher imagens de câmeras de lojas da região, a equipe da Delegada Ana Cláudia Stoffel, adjunta da Delegacia de Investigações de Homicídios, descobriu que o Corolla usado pelo assassino era equipado com alguns acessórios, fato que levou os policiais a identificarem a placa dele, JKE-5882.

O carro está em nome de Bruno Stival, de 20 anos, que ao ser interrogado disse para a delegada que na noite do crime estava com seu irmão Arthur Dias Stival, de 19 anos, e com o amigo deles Murillo Eduardo Conceição, de 20 anos. Os irmãos contaram que Murillo foi quem efetuou os disparos. Além de conseguir a decretação da Prisão Temporária dos três acusados, a delegada apreendeu o revólver 38 usado no crime, o veículo, e apreendeu uma adolescente de 17 anos que estava com o trio.

Bruno, segundo apurou a delegada, é estudante, e o irmão dele vendedor de veículos usados. Os dois foram presos na casa onde moram com os pais em Goiânia. Já Murillo Conceição, que foi localizado e preso na GO-070, saída para Inhumas, na região metropolitana de Goiânia, trabalha em um lavajato e também vende água em semáforos da Capital. 

“Os três confessaram que atiraram em Gabriel após uma discussão banal no meio da rua, o que mostra que para alguns a vida do outro não vale nada”, destacou a delegada.