Premiação

Documentário brasileiro é premiado em Cannes e curta recebe menção honrosa

Cinema Novo e A Moça que Dançou com o Diabo foram consagrados no festival francês




O aplaudido de pé e favorito Aquarius de Kleber Mendonça Filho voltou com as mãos abanando do festival de cinema de Cannes, na França. Porém, o Brasil conseguiu um prêmio e uma menção honrosa no festival. O documentário Cinema Novo, de Eryk Rocha, venceu o prêmio de Olho de Ouro, troféu dedicado a documentários que cujo olhar cinematográfico chama a atenção dos jurados. Eryk é, inclusive, filho do mais aclamado diretor do Cinema Novo: Glauber Rocha. Tal pai, tal filho.

 

Além dele, o curta-metragem brasileiro A Moça que Dançou com o Diabo não venceu a Palma de Ouro de melhor curta, mas mesmo assim chamou a atenção dos jurados, que lhe consederam uma menção honrosa pela categoria. Ao recebê-la, o cineasta João Paulo Miranda Maia agradeceu e dedicou o prêmio aos demais cineastas brasileiros no festival e aproveitou o momento para, assim como Mendonça Filho, protestar contra o presidente interino Michel Temer.